Presidente Braulio França

Presidente Braulio França
Federação Paulista de Culturismo, Fitness e Bodyfitness

Regras

Regras



CATEGORIA IFBB WOMEN’S PHYSIQUE

Categoria feminina Physique, que é destinada a mulheres que preferem desenvolver um corpo menos musculoso, ainda atlético e esteticamente agradável, ao contrário de hoje das culturistas atuais.

Categorias

Em Women’s Physique, existem duas categorias, como segue:

Até e incluindo 163 cm
Mais de 163 centímetros

Mais categorias podem ser adicionados a qualquer momento se assim for decidido pela IFBB.

Traje:

O traje para todas as rodadas é um biquíni de duas peças, que devem estar de acordo com os seguintes critérios:

1. Liso e opaco em grande estilo.
2. Cor a critério do atleta.
3. Tecido de pano de material (não de plástico, borracha, ou material semelhante).
4. Não ornamentação, babados, rendas extremidades e / ou bordas.
5. Pelo menos, 2 cm de altura nos lados e cobrindo no mínimo a metade do gluteus maximus e toda a área frontal.
6. Sem calçado.
7. Sem jóias ou outros acessórios, exceto por um anel de casamento.

Rodada Eliminatória

Uma Rodada Eliminatória é realizada quando houver mais de 15 competidores em uma categoria e é realizado como se segue, sob a direção do árbitro central:

1. Todo o line-up é levado ao palco, em ordem numérica e em uma única linha.
2. O alinhamento é dividido em dois grupos de tamanhos iguais e está posicionado no palco de modo que um grupo é para a esquerda do palco, o outro grupo é para a direita do palco. A porção central da etapa é deixada em aberto para fins de comparação.
3. Em ordem numérica, e em grupos de não mais de cinco concorrentes em um tempo, cada grupo é dirigido para a área central do palco para realizar o quarto de voltas.

 Poses Compulsórias:
a. Bíceps de frente (mãos abertas)
b. Peito melhor lado
c. Bíceps de costas (mãos abertas)
d. Tríceps melhor lado

4. Na conclusão do Poses Compulsórias, todo o line-up é reformado em uma única linha, em ordem numérica, antes de sair do palco.

Rodadas:

Woman’s Physique consiste das seguintes três rodadas:
1. Prévia: Round 1 - quartos de volta e Poses Compulsórias.
2. Final: Round 2 - Poses Compulsórias e posedown
3. Finais: Round 3 - 30 segundos Posing Routine

Apresentação da Rodada 1 (quartos de volta e Poses Compulsórias):
Sob a direção do árbitro central, Round 1 é realizada
como se segue:
1. Todo o line-up é chamado ao palco, em fila única e em ordem numérica.
2. O alinhamento é dividido em dois grupos de tamanhos iguais e está posicionado no palco de modo que um grupo é para a esquerda do palco, o outro grupo é para a direita do palco. A porção central da etapa é deixada em aberto para fins de comparação.
3. Em ordem numérica, e em grupos de não mais de cinco concorrentes em um tempo, cada grupo é dirigido para a área central do palco para realizar o quarto de volta.

Poses Compulsórias:
a. Vire à direita
b. Vire de costas
c. Vire à direita
d. Vire de frente

As quatro poses compulsórias são:

a. Bíceps de frente (mãos abertas)
b. Peito melhor lado
c. Bíceps de costas (mãos abertas)
d. Tríceps melhor lado

4. Este agrupamento inicial dos concorrentes e o desempenho do quarto de voltas se destinam, a ajudar os árbitros a determinar quais os concorrentes tomarão parte nas comparações das Poses Compulsórias.
5. Todas as comparações individuais podem ser realizadas como elemento central e na ordem, da esquerda para a direita, conforme indicado pelo árbitro central.
6. Todos os juízes têm a oportunidade de apresentar pelo menos um pedido de comparações, que serão entregues ao árbitro central. Qualquer pedido adicional fica a critério do árbitro central.
7. Todos os competidores passam por pelo menos uma comparação.
8. Após a conclusão da última comparação, todo o line-up é reformado em uma única linha, em ordem numérica, antes de sair do palco.
Pontuação da Rodada 1 (quartos de volta e Poses Compulsórias):
A pontuação da Rodada 1 é levada a cabo como se segue:
1. Cada árbitro concede a cada concorrente uma colocação individual, garantindo que nenhum, dois ou mais competidores recebam a mesma colocação.
2. Com nove árbitros, duas altas e duas pontuações baixas são descartadas. A remanescente
pontuação será somada para produzir uma "Pontuação Parcial da Rodada 1" e um "1 Colocação Round".
3. Os empates na "Pontuação Parcial da Rodada 1" são quebrados usando as melhores colocações da candidata.
4. avanção seis concorrentes as para as finais (Round 2 e Rodada 3).
Avaliando a Rodada 1 (quartos de volta e Poses Compulsórias):
Rodada 1 é avaliada utilizando os seguintes critérios:
1. O juiz deve primeiro avaliar a aparência feminina atlética geral,
o físico. Esta avaliação deve começar na cabeça e estender
para baixo, tomando todo o físico em conta. A avaliação,
começando com a impressão geral do físico, deve levar em
consideração o cabelo e as características faciais, o físico atlético em geral e o desenvolvimento da musculatura, a apresentação de uma forma equilibrada, simetricamente desenvolvida, a condição da pele e o tom são considerados, e a capacidade do atleta se apresentar no palco com confiança.
2. Durante as comparações das Poses Compulsórias, o juiz deve primeiro olhar
no grupo muscular que está sendo exibido. O juiz deve, então, olhar
todo o físico, começando pela cabeça, e olhando para todas as partes do físico em uma seqüência descendente, começando com as impressões gerais,e à procura de um desenvolvimento simétrico equilibrado de todos os músculos do corpo e definição. A pesquisa deve tomar para baixo na cabeça, pescoço,
ombros, peito, todos os músculos do braço, à frente do tronco para
peitorais, abdômen, cintura, coxas, pernas, panturrilhas e
pés. O mesmo procedimento para trás, poses de costas, também terá no trapézio superior e inferior, redondo e infra, eretores da espinha, o glúteo, os bíceps femurais na parte de trás das coxas, panturrilhas e nos pés. A avaliação detalhada dos vários grupos musculares deve ser feita durante as comparações, momento em que o juiz tem de comparar  a forma muscular, densidade,e definição e ainda tendo em conta geral do concorrente o desenvolvimento equilibrado e feminilidade.
3. O corpo deve ser avaliado quanto ao grau de tônus muscular geral,
conseguido através de esforços atléticos. Os grupos musculares devem ter uma aparência redonda e firme, com uma pequena quantidade de gordura corporal.
4. A avaliação também deve levar em consideração a rigidez e o tom
da pele. O tom da pele deve ser suave e de aparência saudável.
5. A avaliação do juiz do físico do atleta deve incluir o
apresentação inteira do atleta, a partir do momento em que ela entra no palco até o momento em que ela sai do palco. Em todos os tempos o concorrente deve ser visto com ênfase em uma "aparência saudável, apto, físico atlético de aparência muscular, em harmonia apresentados no conjunto ".
A pontuação para Round 1 são utilizados apenas para colocar os concorrentes de 1o-15o
e determinar os 6 melhores finalistas que, então, avançarão para as finais na 2 ª rodada
e Round 3. Os 6 melhores finalistas começam as finais com zero pontos.
Round 2: Finais: Obrigatório e posedown
Vestimenta para a Rodada 2 (Poses Compulsórias e posedown):
A vestimenta para a Rodada 2 é um biquíni, que deve estar de acordo com o seguinte
critérios:
1. Cor, material, textura, a critério do concorrente.
2. Não ornamentação, babados, rendas extremidades e / ou bordas.
3. Pelo menos, 2 cm de altura nos lados e coberto no mínimo a metade do gluteus maximus e toda a área frontal.
4. Sem calçado.
5. Sem jóias ou outros acessórios, exceto por um anel de casamento.
6. Sem adereços.
Apresentação da Rodada 2 (Poses Compulsórias e posedown):
Round 2 é levada a cabo como se segue, sob a direção do árbitro central:
1. Os 6 melhores finalistas são levados ao palco, em fila única e em ordem numérica, e são dirigidas para executar a quatro Poses Compulsórias obrigatórias, como um grupo
e, ao mesmo tempo, em média, as áreas estágio esquerdo e direito.
2. Os 6 melhores finalistas em seguida, executarão um posedown de 60 segundos com a música do próprio organizador.
3. Após a posedown, o top 6 finalistas são reformados em uma única linha,em ordem numérica, antes de sair do palco.
Pontuação da Rodada 2 (Poses Compulsórias e posedown):
A pontuação da Rodada 2 é realizada como se segue:
1. Somente as Poses Compulsórias são pontuadas; do posedown não se marca nada.
2. Cada juiz concede a cada concorrente uma colocação individual, garantindo que nenhum dois ou mais competidores recebam a mesma colocação.
3. Com nove (9) os juízes, duas altas e duas baixas pontuações são descartadas. O
pontuações restantes são somados para produzir um "Round 2 subescore". Com sete
(7) ou cinco (5) juízes, uma alta e uma baixa pontuação serão descartados.
7. Round 2 deve ter um peso de dois terços do resultado final, ou seja, 67%. Para conseguir isso, os Round 2 pontuação será dobrada pelo estatístico.
* Nota: não há necessidade de resolver imediatamente laços na "Pontuação Parcial da Rodada 2" como
isto deve ser adicionado ao "Parcial da Rodada 3" para produzir uma "Pontuação Final". Avaliando Rodada 2 (Poses Compulsórias e posedown):
Round 2 é avaliado segundo os mesmos critérios, conforme detalhado no "Avaliando Round 1".
Round 3: Finais: Rotina de poses
Vestimenta para a Rodada 3 (Levantamento Rotinas):
A vestimenta para a Rodada 3 é o mesmo que Round 2.




SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO 
CAMPEONATOS IFBB - BRASIL


Conforme mencionado anteriormente no sistema de classificação que estava disponível neste espaço, alguns fatores ainda estavam em discussão na Comissão Diretiva. 
Assim, alterações foram realizadas no sistema com a finalidade de chegarmos a um modelo onde, tanto os atletas, quanto as federações possam realizar um bom trabalho. 
Alterações podem ser realizadas futuramente caso a Comissão Diretiva entenda a necessidade de melhorar a estrutura do esporte tanto para o atleta quanto para as federações.

 A partir deste ano, 2012, os campeonatos nacionais serão obrigatoriamente de caráter classificatório. A inscrição e participação nos campeonatos nacionais e internacionais ocorrem através da Federação Estadual. O dirigente responsável (Presidente, Vice-Presidente e/ou Secretário) deverá enviar a Confederação Brasileira uma lista com os nomes dos atletas do seu estado com competência para participar de um determinado evento e, somente então a IFBB Brasil inscreverá o atleta no campeonato.

Para campeonatos internacionais abertos, o procedimento será o mesmo. Ou seja, o atleta deve primeiramente entrar em contato com a Federação Estadual. Esta, através do seu representante legal, enviará uma liberação do atleta a IFBB Brasil e, somente então, uma autorização será enviada ao comitê organizador do campeonato.

Campeonato Estadual de Estreantes

Ø  Participam atletas que estão iniciando sua carreira esportiva em qualquer uma das modalidades presentes nos campeonatos: culturismo masculino e feminino, culturismo clássico, fitness feminino e masculino, bodyfitness, bikini e outras categorias não oficias, porém, oferecidas pela federação local;

Ø  A classificação dos atletas participantes para o Campeonato Estadual é de autonomia do Presidente e/ou seu Representante de cada Federação Estadual, que poderá, assim, determinar os critérios que acharem adequado ao seu estado;

Ø  Não é permitida a participação de atletas que não sejam do estado referente à Federação Estadual que organiza o evento. Exceções à regra ocorrem SOMENTE para atletas que moram em estados onde não há Federação Estadual vigente. A participação de atletas de outros estados em Campeonato de Estreantes e Campeonato Estadual é de autonomia de cada Federação Estadual. Atletas, estejam atentos, pois, há vários estados que não possuíam federação e as mesmas foram recém criadas, ou estão em processo de criação.

Os atletas que vivem em estados onde não há Federação e, que desejam competir por outro estado, devem, antes de realizar a inscrição no evento, solicitar autorização do Presidente responsável (há um link no site chamado "Federações Estaduais" onde poderá ser encontrado os contatos de cada federação).


Campeonato Estadual

Ø  Participam os atletas que já são competidores da IFBB e/ou que possuem um histórico de competição em outra entidade e, que desejam iniciar sua carreira na IFBB. E atletas que obtiveram sua classificação através do Campeonato de Estreantes (para as federações que adotarem este critério). A Federação Estadual tem autonomia para determinar a necessidade do atleta em competir no Campeonato Estadual;

Ø  Não é permitida a participação de atletas que não sejam do estado referente a Federação Estadual que organiza o evento. Exceções a regra ocorrem SOMENTE para atletas que vivem em estados onde não há Federação Estadual vigente. A participação de atletas de outros estados em Campeonato Estreantes é de autonomia de cada Federação Estadual que poderá vetar, em qualquer hipótese, a participação dos atletas de outros estados.

Os atletas que vivem em estados onde não há Federação e, que desejam competir por outro estado, devem, antes de realizar a inscrição no evento, solicitar autorização do Presidente responsável (há um link no site chamado "Federações Estaduais" onde poderá ser encontrado os contatos de cada federação).

Ø  Classificará para o Campeonato Brasileiro, apenas o 1º e 2º colocado de cada categoria. Em casos de unificação de categoria no Campeonato Estadual, os atletas desta categoria poderão participar do Campeonato Brasileiro em sua categoria de origem, se e SOMENTE se, o Presidente da Federação Estadual autorizar e inscrever o atleta. Por exemplo, unificando-se a categoria 65 kg e 70 kg, de forma que os atletas da categoria 65 kg tenham que participar da categoria 70 kg no Campeonato Estadual, o Presidente poderá convocá-los, respeitando-se o limite de dois atletas, para competir no evento nacional na categoria 65 kg;

Ø  A Federação Estadual, através do seu Presidente, tem autonomia para determinar a necessidade de uma atleta em competir o Campeonato Estadual para obter sua classificação para o Campeonato Brasileiro.



Campeonato Brasileiro

Ø  Participam os atletas classificados através do Campeonato Estadual, atletas que possuam autorização de não necessidade de competir no Campeonato Estadual, e atletas campeões no ano anterior;

Ø  Os atletas dos estados que não possuem Federação Estadual vigente deverão entrar em contato com IFBB Brasil através do e-mailsecretaria@ifbbbrasil.com.br para inscrição direta no campeonato;

Ø  O Campeonato Brasileiro é o passaporte para os eventos internacionais (Campeonato Sulamericano, Campeonato Mundial, Arnold Classic Amateur, entre outros). Classificará para os eventos internacionais o 1º e 2º colocado de cada categoria. O 3º colocado, e somente o terceiro, será convocado somente se houver desistência do primeiro e/ou segundo colocado;


Campeonato Sulamericano

Ø  Participam os atletas convocados através da classificação no campeonato nacional e com a liberação da Federação Estadual;

Ø  Será convocado apenas um atleta por categoria, por ordem de classificação, até o terceiro colocado (havendo desistência do primeiro e segundo colocado);

Ø  Independente do resultado obtido no Campeonato Sulamericano do ano anterior, o atleta que quiser competir neste evento deverá participar novamente do Campeonato Brasileiro para obter sua vaga.


Campeonato Mundial

Ø  Participam os atletas convocados através da classificação no campeonato nacional (primeiro e segundo colocado) e com liberação da Federação Estadual. Exceções a regra são os atletas que já possuem um histórico de bons resultados (top 5) em campeonatos mundiais; no entanto, sua inscrição também será realizada após liberação da Federação Estadual.


Campeonato Arnold Amateur (USA e Espanha)

Ø  Participam os atletas convocados da seguinte maneira:

Ä      Classificados como "top 2" no Campeonato Brasileiro serão convocados para o Arnold Amateur Europe do mesmo ano e do Arnold Amateur USA do ano seguinte. Por exemplo, os "top 2" no Campeonato Brasileiro de 2012 serão convocados para o Arnold Amateur Europe 2012 e Arnold Amateur USA 2013;

Ä      Os atletas classificados como "top 3" no Campeonato Sulamericanoserão convocados para o Arnold Amateur Europe do mesmo ano, e Arnold Amateur USA do ano seguinte. Por exemplo, os atletas "top 3" no Campeonato Sulamericano de 2012 serão convocados para o Arnold Amateur Europe 2012 e Arnold Amateur USA 2013;

Ä      Os atletas classificados como "top 5" no Campeonato Mundial do ano anterior ao evento. Por exemplo, o atleta "top 5" no Campeonato Mundial de 2012 será convocado para o Arnold Amateur USA e Arnold Amateur Europe;

Ä      Os atletas classificados como "top 1" – campeão – do Arnold Amateur Europe será convocado para o Arnold Amateur USA. Classificados como"top 1" – campeão – do Arnold Amateur USA será convocado para o Arnold Amateur Europe.

CAMPEONATOS INTERNACIONAIS ABERTOS

A participação em campeonatos abertos é pendente de convite do organizador a IFBB Brasil e autorização da IFBB Brasil ao atleta que deseja participar. Uma carta da IFBB Brasil será enviada ao atleta e ao organizador do evento. A participação em um evento sem prévia autorização da Federação Nacional é passível de punição, estando o atleta sujeito a suspensão de até 1 ano;

As autorizações somente serão emitidas aos atletas que se classificarem como "top 5" no Campeonato Brasileiro do ano em que a competição é realizada. Exceção à regra são os torneios realizados antes da data do Campeonato Brasileiro, onde a autorização será baseada na classificação do campeonato nacional do ano anterior;


*** Atletas brasileiros residentes em outros países e, que desejam competir em eventos internacionais para representar o país, 
devem seguir os mesmos procedimentos, impreterivelmente. *



BODYFITNESS FEMININO

ARTIGO 84 – Introdução
O Bodyfitness Feminino foi oficialmente reconhecido como uma nova disciplina esportiva pelo Conselho Executivo da IFBB e o Congresso da IFBB em 27 de Outubro de 2002 (Cairo, Egito).
84.1 Regras:
Muitas regras administrativas e técnicas que aparecem na seção Regras Gerais são as mesmas para o Bodyfitness e, portanto, não serão repetidas nesta seção.
Artigo 85
– Responsabilidades dos Organizadores para as atletas e Delegados
85.1 Responsabilidades:
Os Organizadores dos Campeonatos Mundiais se encarregarão de cobrir os custos de acomodações duplas e refeições (café-da-manhã, almoço e jantar) para as competidoras e os delegados como segue:
1.Campeonato Mundial Feminino de Culturismo, Fitness e Bodyfitness e Fitness Masculino:
Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.Três ou mais competidoras – Dois delegados
b. Um ou dois competidoras – Um delegado

Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo duas atletas por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.
Nota 3: No máximo nove atletas serão permitidas na Equipe A (duas atletas femininas culturistas, duas atletas femininas fitness, quatro atletas femininas bodyfitness, e um atleta masculino fitness) e serão aceitas por Federação Nacional, sendo que, no máximo duas competidoras poderão participar de uma mesma categoria.
Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.
2.Campeonato Mundial Júnior e Máster de Culturismo, Fitness e Bodyfitness:
Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.                 Três ou mais competidoras – Dois delegados
b.                 Um ou dois competidoras – Um delegado
Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo duas atletas por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.

Nota 3: No máximo dezenove atletas serão permitidas na Equipe A (uma atleta feminina culturista júnior, dois atletas masculinos culturista júnior, duas atletas femininas fitness júnior, um atleta masculino fitness júnior, duas atletas femininas bodyfitness júnior, um atleta masculino culturista clássico júnior, uma atleta feminina culturista máster, sete atletas masculinos culturistas máster, uma atleta feminina bodyfitness máster) e serão aceitas por Federação Nacional, sendo que, no máximo duas competidoras poderão participar de uma mesma categoria.

Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.
3. No Bodyfitness Feminino Júnior, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe A com no máximo duas competidoras, sendo que no máximo duas competidoras podem participar de uma mesma equipe.
4. No Bodyfitness Feminino Sênior, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe A com no máximo quatro competidoras, sendo que no máximo duas competidoras podem participar de uma mesma equipe.
5. No Bodyfitness Máster Feminino, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe A com no máximo uma competidora.
6. As regras que dirigem a equipe “B” podem ser encontradas no artigo 9.5.
Artigo 86
– Categorias
86.1 Categorias
A competição de Bodyfitness nos Campeonatos Mundiais esta aberta às seguintes categorias:
1.Atualmente há quatro categorias no bodyfitness sênior em nível mundial, como segue:
a. Classe A: até e incluindo 158 cm.
b. Classe B: até e incluindo 163 cm.
c. Classe C: até e incluindo 168 cm.
d. Classe D: acima de 168 cm.
2. Atualmente há duas categorias nas competições de bodyfitness júnior em nível mundial, como segue:
a. Classe A: até  e incluindo 163 cm
b. Classe B: acima de 163 cm
Artigo 87
 – Rodadas
87.1 Rodadas:
O Bodyfitness consistirá das três rodadas seguintes:
1.Pré-Julgamento – Rodada 1 (Quartos-de-volta com Biquini Preto)
2.Pré-Julgamento – Rodada 2 (Quartos-de-volta com Maiô)
3.Finais – Rodada 3 (Quartos-de-volta com Biquini)

Artigo 88
– Pré-Julgamento: Rodada Eliminatória
88.1 Geral:
O Pré-Julgamento, que é aberto ao público em geral, será realizado após o dia de Registro Oficial das Atletas. Uma programação de cada categoria deverá ser publicada. A fim de oferecer as atletas tempo para o aquecimento e troca de roupa, as competidoras deverão estar na área de aquecimento nos bastidores pelo menos 30 minutos antes do horário de início do julgamento de sua categoria. Todas as competidoras serão inteiramente responsáveis por assegurar que estão presentes e preparadas para competir quando sua categoria for chamada ao palco, caso contrário esta será eliminada da competição.
88.2 Procedimentos da Rodada Eliminatória:
Uma rodada eliminatória será realizada quando houver mais de 15 competidoras em uma categoria. A rodada eliminatória será realizada da seguinte maneira:
1.Todas as atletas serão chamadas ao palco, em ordem numérica, e em fileira simples ou dupla, se necessário.
2.A fileira é dividida em dois grupos de tamanhos iguais e posicionada no palco de modo que um grupo permaneça à esquerda; e o outro grupo permaneça à direita do palco. O centro do palco fica liberado a propósito de comparação.
3.Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco competidoras ao mesmo tempo, cada grupo é direcionado ao centro do palco para realizar as quatro poses compulsórias.
4.O Chefe de Árbitros da IFBB conduzirá as competidoras através dos quartos-de-volta, que são:
a.Quarto-de-Volta para Direita
b. Quarto-de-Volta de Costas
c. Quarto-de-Volta para Direita
d. Quarto-de-Volta de Frente

5.Ao final dos quartos-de-volta, toda a categoria deverá refazer uma fileira única, em ordem numérica, antes de sair do palco.
Note: As competidoras não podem mascar chiclete ou doce enquanto estiverem no palco.

Artigo 89
– Pré-Julgamento: Vestimenta para a Rodada Eliminatória e Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças)
89.1 Vestimenta para a Rodada Eliminatória e Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças):
A vestimenta para a Rodada Eliminatória e Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças) deverá seguir os seguintes critérios:
1.O biquíni deve ser de duas peças, liso opaco;
2.O biquíni deve ser de cor preta sólida;
3.O biquíni deve ser feito de tecido (não plastificado, emborrachado, ou de material similar)
4.O biquíni deve ser de textura fosca (sem material brilhante)
5.O biquíni não deve conter ornamentos, acessórios, renda ou bordados.
6.A parte inferior do biquíni deve cobrir no mínimo metade do glúteo máximo e toda a área frontal
89.2 Salto-alto será utilizado durante esta rodada. O sapato deve ser preto, de salto fino clássico, com os dedos e os calcanhares fechados. A espessura da sola não deve ser maior do que 6.35 milímetros; a altura do salto não deve ser maior do que 127 milímetros. Sapatos com plataformas são estritamente proibidos.
89.3 O cabelo pode ser estilizado.
89.4 Exceto para aliança de casamento e/ou brincos tipo tachinhas, jóias não serão permitidas.
89.5 O Chefe Oficial da IFBB, ou delegado representante, terá o direito de determinar se a vestimenta de uma competidora se encontra nos padrões aceitáveis de gosto e decência.

Artigo 90
– Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada Eliminatória
90.1 Pontuação da Rodada Eliminatória.
1.Ao mesmo tempo, os árbitros estarão avaliando o físico geral para o grau atlético, proporção e tom da pele. A pontuação da Rodada Eliminatória procederá da seguinte maneira:
2.Se houver mais de 15 competidoras, os árbitros deverão selecionar as 15 melhores colocando um “X” ao lado de seus nomes, utilizando o Formulário #1, intitulado “Rodada Eliminatória (Árbitros)”
3.Utilizando o Formulário #2, intitulado “Rodada Eliminatória (Estatísticos)”, os estatísticos transcreverão as seleções dos árbitros nesta folha e então registrarão as pontuações das 15 melhores competidoras.
4.Se houver um empate entre duas ou mais competidoras na 15ª colocação, as atletas empatadas serão chamadas novamente ao palco, e os árbitros realizarão uma reavaliação dos quatro quartos-de-volta.
5.Apenas 15 competidoras avançarão para as finais.

Artigo 91
– Pré-Julgamento: Apresentação da Rodada 1 (Biquíni de Duas Partes)
91.1 Apresentação da Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças):
Os procedimentos para a Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças) serão os seguintes:
1.Toda a categoria será chamada ao palco, enfileirada e em ordem numérica.
2.A fileira será dividida em dois grupos de tamanhos iguais e serão posicionados no palco de modo que um grupo permaneça a esquerda; e o outro permaneça a direita do palco. O centro do palco permanecerá livre a propósito de comparações.
3.Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco competidoras ao mesmo tempo, cada grupo será direcionado  ao centro do palco para realizar os quartos-de-volta.
4.Este agrupamento inicial das competidoras, e a realização dos quartos-de-volta, tem como objetivo ajudar os árbitros a determinar quais competidoras farão parte das comparações em seguida.
5. Neste momento os árbitros podem submeter as competidoras a comparações individuais para avaliações do Chefe de Árbitros da IFBB ou do Diretor de Palco. Não menos do que três e não mais do que cinco competidoras serão comparados ao mesmo tempo. O Dirigente de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco terão a discrição para descartar ou apurar um pedido individual dos árbitros para comparações se permitido.
6.Todas as comparações individuais serão realizadas no centro do palco e em ordem, da esquerda para a direta, como solicitado pelo árbitro.
7.O número total de comparações serão também decididos pelo Árbitro Chefe ou Diretor de Palco.
8.Todas as competidoras passarão por pelo menos uma comparação.
9.Ao final da última comparação, todas as competidoras retornarão a fileira única, em ordem numérica, antes de sair do palco.

Artigo 92
– Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças)
92.1 Pontuação da Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças):
A pontuação para a Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças) procederá da seguinte maneira:
1.Utilizando o Formulário #3, intitulado de “Classificação Individual dos Árbitros (Pré-Julgamento)”, cada árbitro premiará uma competidora com uma classificação individual da 1ª a 15ª colocação, assegurando-se de que duas ou mais atletas não tenham recebido a mesma classificação. Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros” para registrar sua avaliação sobre cada competidora.
2.Utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, com nove árbitros, as duas notas mais altas e as duas mais baixas serão descartadas. A pontuação remanescente será somada para produzir um “Pontuação Parcial da Rodada 1” e uma “Classificação RD1”.
3.Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 1” não precisam ser quebrados imediatamente já que a “Pontuação Parcial da Rodada 1” será somada a “Pontuação Parcial da Rodada 2” para produzir a “PONTUAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO”

Artigo 93
– Pré-Julgamento: Avaliação da Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças)
93.1 Avaliação da Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças):
A Rodada 1 (Biquíni de Duas Peças) será avaliada utilizando os seguintes critérios:
1.O árbitro deverá avaliar primeiro a aparência atlética geral. Esta avaliação deve levar em consideração todo o físico. A avaliação começa com uma impressão geral do físico, devendo-se considerar o cabelo e a beleza facial; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico equilibrado simetricamente; a condição e o tom da pele; a habilidade atlética para se apresentar com confiança, equilíbrio e graça.
2.O físico deve ser avaliado e seu nível de tônus muscular geral, obtido através de treinamentos. Os grupos musculares devem ter uma aparência redonda e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal. O físico não deve ser excessivamente musculoso e nem excessivamente magro e não deve possuir profundas separações musculares e/ou estriações. Os físicos considerados muito musculosos ou muito magros serão desclassificados.
3.A avaliação deve levar em consideração a rigidez e  tom da pele. O tom da pele deve ser suave e de aparência saudável, e sem celulite. O rosto, o cabelo e a maquiagem devem ser complemento do “Pacote Total” apresentado pela atleta.
4.A avaliação dos físicos das atletas pelos árbitros devem incluir toda a apresentação da atleta, do momento que ela sobe no palco até o momento em que ela sai do palco. A todo o momento, a competidora fitness deve ser vista com ênfase em um físico “saudável, condicionado, atlético”, num “Pacote Total” apresentado de forma atrativa.
5.Os árbitros são lembrados que este não é um campeonato de culturismo. As competidoras devem ter forma para os seus músculos, mas não, tamanho, definição e vascularização como é visto nas competições de culturismo. Qualquer competidora que exibir estas características será desclassificada. Mais detalhes no Apêndice 9.

Artigo 94
– Pré-Julgamento: Vestimenta para a Rodada 2 (Maiô)
94.1 Vestimenta para a Rodada 2 (Maiô):
A vestimenta para a Rodada 2 deve estar conforme os seguintes critérios:
1.Maiô;
2.Cor, material, textura a critério da competidora;
3.O maiô deve cobrir toda a parte frontal do abdômen e no mínimo metade do glúteo máximo.
4.Os saltos-altos devem ser usados durante esta rodada. O estilo e a cor do sapato podem ser escolhidos pela competidora. A espessura da sola não pode ser maior do que7.00 milímetros; a altura do salto não deve ser maior do que120 milímetros. Os saltos com plataformas são estritamente proibidos.
5.O cabelo pode ser estilizado;
6.Jóias podem ser utilizadas, com limite;
7.O Chefe Oficial da IFBB, ou delegado representante, terá o direito de determinar se a vestimenta de uma competidora se encontra em um padrão aceitável de gosto e decência.
8.As competidoras podem utilizar logos de patrocinadores em sua vestimenta de rotina, com dimensões que não podem exceder 4 x 8 cm.

Artigo 95
– Pré-Julgamento: Apresentação da Rodada 2 (Maiô)
95.1 Apresentação da Rodada 2 (Maiô):
Os procedimentos para a Rodada 2 devem ser os seguintes:
1.Toda a categoria é chamada ao palco, enfileirada e em ordem numérica.
2.A fileira é dividida em dois grupos de tamanhos iguais e posicionada no palco de modo que um grupo permaneça à esquerda; e o outro grupo permaneça à direita do palco. O centro do palco fica liberado a propósito de comparação.
3.Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco competidoras ao mesmo tempo, cada grupo será direcionado  ao centro do palco para realizar os quartos-de-volta.
4.Este agrupamento inicial das competidoras, e a realização dos quartos-de-volta, tem como objetivo ajudar os árbitros a determinar quais competidoras farão parte das comparações em seguida.
5. Agora os árbitros podem submeter as competidoras a comparações individuais para avaliações do Chefe de Árbitros da IFBB ou do Diretor de Palco. Não menos do que três e não mais do que cinco competidoras serão comparados ao mesmo tempo. O Dirigente de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco terão a discrição para descartar ou apurar um pedido individual dos árbitros para comparações se permitido.
6.Todas as comparações individuais serão realizadas no centro do palco e em ordem, da esquerda para a direta, como solicitado pelo árbitro.
7.Todos os árbitros deverão dar a oportunidade de submeter pelo menos um pedido de comparações. Qualquer solicitação adicional estará à discrição do Árbitro Chefe da IFBB ou do Diretor de Palco.
8.Todas as competidoras passarão por pelo menos uma comparação.
9.Ao final da última comparação, todas as competidoras retornarão a fileira única, em ordem numérica antes de sair do palco.

Artigo 96
– Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada 2 (Maiô)
96.1 A Pontuação da Rodada 2 (Maiô)
A pontuação da Rodada 2 (Maiô) procederá da seguinte maneira:
1.Utilizando o Formulário #3, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Pré-Julgamento)”, cada árbitro premiará uma competidora com uma classificação individual, assegurando-se que duas ou mais competidoras não receberam a mesma classificação.
2.Utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, com nove árbitros, as duas maiores e as duas menores notas serão descartadas. As notas remanescentes serão somadas para produzir a “Pontuação Parcial da Rodada 2”. Esta pontuação parcial será então somada a “Pontuação Parcial da Rodada 1” para produzir a “PONTUAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO” e uma “CLASSIFICAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO”. Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 2” não necessitam ser quebrados imediatamente já que a “Pontuação Parcial da Rodada 2” deverá ser somada com a “Pontuação Parcial da Rodada 1” para produzir a “PONTUAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO”.
3.Se um empate ocorrer na “PONTUAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO”, o empate será quebrado utilizando-se a “Pontuação Parcial da Rodada 1” primeiro. Se o empate ainda persistir ele será quebrado utilizando-se o “Classificação Relativa” aplicado na pontuação da rodada 1 da atleta.
4.As 6 melhores competidoras do Pré-Julgamento avançam para as finais.

Artigo 97
 – Pré-Julgamento: Avaliação da Rodada 2 (Maiô)
97.1 Avaliação da Rodada 2 (Maiô)
A Rodada 2 será avaliada utilizando-se o mesmo critério da Rodada 1 (Artigo 51); no entanto, os árbitros devem estar atentos pelo fato que as competidoras podem parecer diferentes enquanto estiverem vestindo um maiô cobrindo toda a parte frontal do abdômen com salto-alto oposto ao biquíni com salto-alto. Portanto, os árbitros devem assegurar de que esta rodada é avaliada de uma “nova” perspectiva, assegurando-se que todas as competidoras receberam uma avaliação clara baseada na vestimenta desta rodada. Mais detalhes Apêndice 9.

Artigo 98
 – Finais: Vestimenta da Rodada 3 (Biquíni de Duas Partes)
98.1 Vestimenta da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças):
A vestimenta da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças) consistirá dos seguintes critérios:
1.Biquíni
2.A cor, o material e a textura é escolhida pela atletas;
3.O biquíni deve cobrir no mínimo metade do glúteo máximo e toda a área inferior do abdômen.
4.Os saltos-altos serão usados nesta rodada. O estilo e a cor do sapato podem ser da escolha da competidora. A espessura da sola não pode ser maior do que 7.00 milímetros; a altura do salto não deve ser maior do que 120 milímetros. Sapatos com plataformas são estritamente proibidos.
5.O cabelo pode ser estilizado.
6.Jóias podem ser utilizadas, com limite.
7.O Chefe Oficial da IFBB, ou o delegado representante, terá o direito de determinar se a vestimenta de uma competidora se encontra nos padrões aceitáveis de gosto ou decência.

Artigo 99
– Finais: Apresentação da Rodada 3 (Biquíni)
99.1 Apresentação da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças)
A apresentação da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças) ocorrerá da seguinte maneira:
1.As 6 atletas finalistas serão chamadas ao palco, enfileiradas e em ordem numérica.
2.Em ordem numérica, cada competidora será chamada pelo número, nome e o país.
3..O Chefe de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco pode, em sua discrição, solicitar que o grupo realize os quartos-de-volta no centro do palco e em ordem numérica e também na ordem reversa.
4.Será solicitado que todas as atletas saiam do palco.

Artigo 100
– Finais: Pontuação da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças)
100.1 Pontuação da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças):
A pontuação da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças) procederá da seguinte maneira:
1.Os árbitros, utilizando o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)”, e utilizando o mesmo critério de julgamento como utilizado no Pré-Julgamento, classificará as competidoras da 1ª a 6ª colocação, não dando a duas atletas a mesma colocação.
2.Os estatísticos coletarão o Formulário #6 dos árbitros e transcreverão as classificações dos árbitros para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”. Eles descartarão as duas maiores e as duas menores notas; somarão as cinco notas remanescentes, e escreverão o total na coluna marcada como “Pontuação Parcial da Rodada 3”.
3.Os estatísticos irão então somar a “Pontuação do Pré-Julgamento” com a “Pontuação Parcial da Rodada 3” para produzir uma “PONTUAÇÃO FINAL” e “CLASSIFICAÇÃO FINAL”.
4.Se um empate ocorrer na “Pontuação Parcial da Rodada 3”, o empate não necessita ser imediatamente quebrado já que a “Pontuação Parcial da Rodada 3” deve ser somada a “PONTUAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO” para produzir uma “PONTUAÇÃO FINAL”. Se um empate ocorrer na “PONTUAÇÃO FINAL”, o empate será quebrado utilizando-se primeiro a “Pontuação Parcial da Rodada 3”. Caso o empate persista, o método de “Classificação Relativa” será utilizado na “Pontuação Parcial da Rodada 3”.
5.Os árbitros utilizam o Formulário #6; os Estatísticos utilizam o Formulário #5.

Artigo 101
– Finais: Avaliação da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças)
101.1 Avaliação da Rodada 3 (Biquíni de Duas Peças):
O mesmo critério utilizado no julgamento da Rodada 1 será utilizado nesta rodada. No entanto, os árbitros devem estar atentos ao fato de que uma competidora pode apresentar um diferente “Pacote Total” enquanto estiver vestindo um biquíni de duas peças de sua própria escolha. Portanto, os árbitros devem assegurar que esta rodada seja julgada de uma “nova” perspectiva, assegurando que todas as competidoras recebam um julgamento justo baseado na vestimenta da rodada.

Artigo 102
– Finais: A Cerimônia de Premiação
102.1 A Cerimônia de Premiação
Os procedimentos para a Cerimônia de Premiação serão os seguintes:
1.As 6 melhores finalistas serão chamadas ao palco para participarem da cerimônia de premiação.
2.O Mestre de Cerimônias, utilizando o Formulário #7, intitulado “As 6 melhores Finalistas (para MC)”, anunciará o número, nome e país da competidoras na 6ª colocação e esta permanecerá em pé ao lado direito (quando vista de frente) do pedestal da vitória e receberá seu prêmio. O Mestre de Cerimônias anunciará então o número, nome e país da competidora na 5ª colocação e esta permanecerá em pé ao lado direito do pedestal da vitória e receberá o seu prêmio. O Mestre de Cerimônias então anunciará o número, nome e país da competidora na 4ª colocação e esta permanecerá em pé ao lado esquerdo do pedestal da vitória e receberá o seu prêmio. O Mestre de Cerimônias continuará anunciando os resultados da 3ª, 2ª colocação e finalmente, a vencedora.
3. O Presidente da IFBB, ou o Oficial representante da IFBB no campeonato, acompanhado pelos outros oficiais convidados por ele a fazer parte da Cerimônia, entregaram as Medalhas da IFBB e/ou os troféus aos vencedores.
4.O hino nacional do país da atleta 1ª colocada será tocado imediatamente após o recebimento do seu(s) prêmio(s).
5.Após o final do hino nacional e o hasteamento da bandeira, as finalistas podem ser solicitadas a permanecerem no palco por um breve período de tempo com propostas fotográficas.
- Mais descrição dos detalhes da Cerimônia de Premiação está disponível no Artigo 36.
- Os Resultados da Classificação por Equipes e Premiações – de acordo com Artigo 38.
- Publicação dos Resultados – de acordo com o Artigo 39.

Artigo 103
– Categoria Overall e Premiação
103.1 A Categoria Overall procederá da seguinte maneira:
1.Imediatamente após a Cerimônia de Premiação da última categoria fitness, as quatro vencedoras das categorias serão chamadas ao palco em ordem numérica e enfileiradas, vestindo biquíni de duas peças e salto alto.
2.O Chefe de Árbitros da IFBB direcionará as competidoras através dos quartos-de-volta no centro do palco, em ordem numérica e então na ordem inversa.
3.Os árbitros utilizarão o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)”, para classificar as atletas de 1ª a 4ª posição.
4.Os estatísticos, utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, registrarão as pontuações e determinarão as classificações finais das competidoras.
5.A “Campeã Overall” será anunciada e a Medalha de Ouro e o troféu será entregue a competidora da IFBB pelo Presidente da IFBB ou o Oficial da IFBB representante no campeonato. A medalha e o troféu serão oferecidos pela Federação Nacional organizadora.
- Os Resultados da Classificação por Equipe e os Prêmios – de acordo com ao Artigo 38.
- Publicação dos Resultados – de acordo com o Artigo 39.

APÊNDICE 9
DESCRIÇÃO DOS QUARTOS-DE-VOLTA
Quarto-de-Volta para Direita
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés inclinados 30º para fora, joelhos unidos e semi-flexionado, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, braço esquerdo relaxado suspenso ao lado do corpo e levemente para trás da linha central do corpo e cotovelo semi-flexionado, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada, braço direito suspenso ao lado do corpo e levemente para frente da linha central do corpo com uma leve semi-flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada. O posicionamento dos braços causará uma rotação da parte superior do corpo para a esquerda, com o ombro esquerdo caído e o ombro direito erguido. Isto é normal e não deve ser exagerado. Esta posição é uma postura relaxada. Contrair os músculos é proibido. As competidoras que não adotarem a postura correta receberão uma advertência e, em seguida, pontos serão retirados da pontuação.

Quarto-de-volta de Costas
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés inclinados 30º para fora, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, ambos os braços relaxados suspensos ao lado do corpo alinhado a linha central do corpo, cotovelos semi-flexionados, polegar e dedos unidos, palmas das mãos voltadas para o corpo e distante aproximadamente10 cm do corpo, mãos levemente curvadas. Esta é uma posição relaxada. Contrair os músculos é proibido. As competidoras que não adotarem a postura correta receberão uma advertência e, em seguida, pontos serão retirados da pontuação.

Quarto-de-volta para Direita
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés inclinados 30º para fora, joelhos unidos e semi-flexionado, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, braço direito relaxado suspenso ao lado do corpo e levemente para trás da linha central do corpo e cotovelo semi-flexionado, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada, braço esquerdo suspenso ao lado do corpo e levemente para frente da linha central do corpo com uma leve semi-flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada. O posicionamento dos braços causará uma rotação da parte superior do corpo para a direita, com o ombro direito caído e o ombro esquerdo erguido. Isto é normal e não deve ser exagerado. Esta posição é uma postura relaxada. Contrair os músculos é proibido. As competidoras que não adotarem a postura correta receberão uma advertência e, em seguida, pontos serão retirados da pontuação.

Quarto-de-volta de Frente
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés inclinados 30º para fora, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, ambos os braços relaxados suspensos ao lado do corpo alinhado a linha central do corpo, cotovelos semi-flexionados, polegar e dedos unidos, palmas das mãos voltadas para o corpo e distante aproximadamente10 cm do corpo, mãos levemente curvadas. Esta é uma posição relaxada. Contrair os músculos é proibido. As competidoras que não adotarem a postura correta receberão uma advertência e, em seguida, pontos serão retirados da pontuação.

AVALIAÇÃO DO FÍSICO NOS QUARTOS-DE-VOLTA
Em todas as rodadas, as 15 melhores competidoras serão levadas ao palco, em ordem numérica e enfileiradas. Elas serão conduzidas através das comparações dos quartos-de-volta em grupos de não mais do que cinco competidoras ao mesmo tempo. É esperado que cada árbitro assista todas as comparações e não apenas aquelas que um árbitro específico solicitou.
Através das comparações, um árbitro deve se esquecer de que ele está julgando a atleta como um “Pacote Total”.
O árbitro deve primeiro avaliar a aparência atlética geral do físico. Esta avaliação deve levar em consideração todo o físico. A avaliação começa com uma impressão geral do físico, considerando-se o cabelo e a beleza facial; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico equilibrado simetricamente; a condição e o tom da pele; e a habilidade atlética da atleta em se apresentar com confiança, equilíbrio e graça.
O físico deve ser avaliado em seu nível de tônus muscular geral, realizado obtido através de treinamento. Os grupos musculares devem ter uma aparência redonda e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal. O físico não deve ser excessivamente musculoso e nem excessivamente magro, e não deve possuir profundas separações musculares e estriações. Os físicos considerados muito musculosos ou muito magros devem ser desclassificados.
A avaliação também deve levar em consideração a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deve ser de aparecia suave e saudável, e sem celulite. O rosto, o cabelo e a maquiagem devem ser complemento do “Pacote Total” apresentado pela atleta.
A avaliação do físico das atletas pelos árbitros deve incluir uma apresentação geral, do momento em que a atleta entra no palco até o momento em que ela sai do palco. A todo o momento, a competidora fitness deve ser vista com ênfase em um físico “saudável, condicionado, atlético”, como um “Pacote Total” apresentado de forma atrativa.

 CULTURISMO CLÁSSICO MASCULINO

Artigo 42 – Geral
42.1 O Culturismo Clássico Masculino foi oficialmente reconhecido como uma nova disciplina esportiva pelo Conselho Executivo da IFBB e Congresso da IFBB em 27 de Novembro de 2005 (Shangai, China).

Artigo 43 – Categorias
43.1 Atualmente há quatro categorias no culturismo clássico masculino sênior, como segue:
1. Até e incluindo 170 cm
Peso Máx. (kg) = (Altura <cm> - 100) + 2 <kg>
2. Até e incluindo 175 cm
Peso Máx (kg) = (Altura <cm> - 100) + 4 <kg>
3. Até 180 cm
Peso Máx. (kg) = (Altura <cm> - 100) + 6 <kg>
4. Acima 180 cm
Peso (kg) = (Altura <cm> - 100) + 8 <kg>
Nota 1: Para competidores com a estatura até e incluindo 198 cm, a seguinte fórmula será utilizada:
Peso Máx. (kg) = (Altura <cm> - 100) + 9 <kg>
Nota 2: Para competidores com a estatura acima de 198 cm, a seguinte fórmula será utilizada:
Peso Máx. (kg) = (Altura <cm> - 100) + 10 <kg>
Nota 3: Todo os competidores mencionados acima participaram da categoria “acima de 180 cm
43.2 No culturismo clássico júnior há uma categoria aberta, com as seguintes limitações de peso:
Até e incluindo 170 cm
Peso Máx (kg) = (Altura <cm> - 100) + 1 <kg>
Até e incluindo 175 cm
Peso Máx (kg) = (Altura <cm> - 100) + 2 <kg>
Até e incluindo 180 cm
Peso Máx. (kg) = (Altura <cm> - 100) + 3 <kg>
Até e incluindo 190 cm
Peso Máx (kg) = (Altura <cm> - 100) + 4 <kg>
Até e incluindo 198 cm
Peso Máx. (kg) = (Altura <cm> - 100) + 4,5 <kg>
Acima de 198 cm
Peso Máx. (kg) = (Altura <cm> - 100) + 5 <kg>
Artigo 44 – Rodadas
44.1 Excluindo a Rodada Eliminatória, o Culturismo Clássico Masculino consiste das seguintes 3 categorias:
1. Prévia: Rodada 1 – Quartos-de-volta e Poses Compulsórias.
2. Finais: Rodada 2 – Poses Compulsórias e Posedown.
3. Finais: Rodada 3 – Rotina de Poses.
Artigo 45 – Prévia: Rodada Eliminatória
45.1 Uma Rodada Eliminatória será realizada quando houver mais de 15 competidores em uma categoria e será realizada como segue, sob a direção do Chefe de Árbitros ou Diretor de Palco:
1. Todos os competidores são levados ao palco, em fileira única e em ordem numérica.
2. A fileira será divida em dois grupos de mesmo tamanho e posicionado no palco de modo que um grupo permaneça a esquerda do palco; e o outro grupo à direita do palco. A parte central do palco permanecerá livre para propósitos de comparações.
3. Em ordem numérica, e em grupos com no máximo cinco competidores por vez, cada grupo será direcionado ao centro do palco para realizar as seguintes poses compulsórias:
a. Duplo Bíceps Frontal;
b. Peito de Lado;
c. Duplo Bíceps de Costas;
d. Abdominais e Coxa;
4. Ao final das Poses Compulsórias, a fileira única é reformulada, em ordem numérica, antes de realizar a saída de palco.
Artigo 46 – Prévia: Pontuação da Rodada Eliminatória
46.1 A pontuação da Rodada Eliminatória será realizada da seguinte maneira:
1. Se houver mais do que 21 competidores, os árbitros deverão selecionar 15 competidores colocando um “X” ao lado de seus números.
2. Se houver entre 16 e 21 competidores, os árbitros deverão eliminar de 1 a 6 competidores colocando um “X” ao lado de seus números.
3. Apenas 15 competidores avançaram para a Rodada 1.
4. Os árbitros utilizarão o Formulário #1; os estatísticos utilizarão o Formulário #2.
Artigo 47 – Prévia: Vestimenta para a Rodada 1 (Quartos-de-volta e Poses Compulsórias)
47.1 A vestimenta para a Rodada 1 deve apresentar o tronco, e deve seguir os seguintes critérios:
1. Estilo liso opaco.
2. Cor preta sólida.
3. Fabricada em tecido (não emplastificada, emborrachada, ou materiais similares)
4. Textura Fosca (materiais sem brilho)
5. Sem ornamentações, acessórios, rendas e ou bordados.
6. Com pelo menos 1 cm de altura nas laterais e cobrindo no mínimo metade dos glúteos máximos e toda a área frontal.
7. Sem calçados.
8. Sem jóias ou outros acessórios, exceto alianças de casamento.
Artigo 48 – Prévia: Apresentação da Rodada 1 (Quartos-de-volta e Poses Compulsórias)
48.1 A Rodada 1 é realizada sob a direção do Chefe de Árbitros ou Diretor de Palco, da seguinte maneira:
1. Todos os competidores são chamados ao palco, em fileira única e em ordem numérica.
2. A fileira será divida em dois grupos de mesmo tamanho e posicionado o palco de modo que um grupo permaneça a esquerda do palco; e o outro grupo à direita do palco. A parte central do palco permanecerá livre para propósitos de comparações.
3. Em ordem numérica, e em grupos com no máximo cinco competidores por vez, cada grupo será direcionado ao centro do palco para realizar os seguintes Quartos-de-volta e Poses Compulsórias:
a. Quarto-de-Volta para Direita.
b. Quarto-de-Volta de Costas
c. Quarto-de-Volta para Direita.
d. Quarto-de-Volta de Frente.
e. Duplo Bíceps de Costas.
f. Peito de Lado.
g. Duplo Bíceps de Costas.
h. Abdominais e Coxa.
4. Este grupo inicial de competidores, e a realização dos Quartos-de-volta e as quatro Poses Compulsórias, tem a finalidade de ajudar os árbitros a determinar quais competidores participarão das comparações das Poses Compulsórias.
5. Neste momento os árbitros podem solicitar comparações individuais nas Poses Compulsórias para o Chefe de Árbitros da IFBB e o Diretor de Palco. No mínimo três e no máximo cinco podem ser comparados ao mesmo tempo. O Chefe de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco tem o direito de descartar ou emendar uma solicitação individual para comparações se desejado.
6. Todas as comparações individuais serão realizadas no centro do palco e em ordem, da esquerda para a direita, como exigido pelo árbitro.
7. O número total de comparações será decidido pelo Chefe de Árbitros da IFBB ou pelo Diretor de Palco.
8- Todos os competidores passarão por pelo menos uma comparação.
9. Ao final da última comparação, a fileira única é reconstituída, em ordem numérica, antes de realizar a saída de palco.
10. As sete Poses Compulsórias são as seguinte:
a. Duplo Bíceps Frontal.
b. Expansão de Dorsais Frontal.
c. Peito de Lado.
d. Duplo Bíceps de Costas.
e. Expansão de Dorsais de Costas.
f. Tríceps de Lado.
g. Abdominais e Coxa.
Artigo 49 – Prévia: Pontuação da Rodada 1 (Quartos-de-volta e Poses Compulsórias)
49.1 A pontuação da Rodada 1 é realizada da seguinte maneira:
1. Cada árbitro concede uma colocação individual para cada competidor, assegurando-se de que dois ou mais competidores não recebam a mesma colocação.
2. Com nove árbitros, as duas colocações mais altas e as duas colocações mais baixas serão descartadas. As colocações remanescentes serão somadas para gerar uma “Pontuação Parcial da Rodada 1” e uma “Classificação da Rodada 1”
3.Empates na “Pontuação Parcial da Rodada 1” serão desfeitos utilizando-se o Método de Classificação Relativa.
4. Os árbitros utilizarão o Formulário #3; e os estatísticos o Formulário #5
5. Os seis competidores melhores classificados avançarão as Finais (Rodada 2 e Rodada 3)
Artigo 50 – Prévia: Avaliando a Rodada 1 (Quartos-de-volta e Poses Compulsórias)
50.1 A Rodada 1 é avaliada utilizando-se dos seguintes critérios:
1. O árbitro deverá avaliar primeiramente a aparência atlética masculina geral do físico. Esta avaliação deverá começar pela cabeça e estender para baixo, levando-se em consideração todo o físico. A avaliação, começando com a impressão geral do físico, devem levar em consideração o cabelo e as características faciais; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico equilibrado e simetricamente desenvolvido; a condição e o tônus da pele; e a habilidade atlética de apresentar-se no palco com confiança.
2. Durante as comparações das Poses Compulsórias, o árbitro deve olhar primeiro para o grupo muscular primário que esta sendo apresentado. O árbitro deverá então inspecionar o físico todo, começando pela cabeça, e observar cada parte do físico numa seqüência descendente, começando com as impressões gerais, e procurar por volume muscular, desenvolvimento equilibrado, densidade muscular e definição. A observação descendente deve ocorrer na cabeça, pescoço, ombros, peito, todos os músculos dos braços, parte frontal do tronco para peitorais, união entre peitorais e deltóides, abdominais, cintura, coxas, pernas, panturrilhas e pés. O mesmo procedimento é realizado para as costas observando-se o trapézio superior e inferior, os redondos e infraespinhais, eretores da espinha, o grupo dos glúteos, a parte posterior das coxas, panturrilhas e pés. Uma avaliação detalhada de vários grupos musculares deve ser feito durante as comparações, na qual ao mesmo tempo o árbitro deve avaliar forma, densidade, e definição enquanto ainda mantém em mente o desenvolvimento geral equilibrado dos competidores. As comparações das poses compulsórias não podem ser super valorizadas já que estas comparações ajudarão o árbitro a decidir qual competidor tem o melhor físico do ponto de vista de desenvolvimento atlético equilibrado, densidade muscular e definição.
3. O físico deve ser avaliado como um tônus muscular geral, realizados através de esforços atléticos. Os grupos musculares deverão possuir uma aparência redonda e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal.
4. A avaliação também deve levar em consideração a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deve ser suave e de aparência saudável.
5. A avaliação do físico dos atletas pelos árbitros deve incluir uma completa apresentação do atleta, do momento que ele entra até o momento em que ele sai do palco. A todo o momento o competidor deve ser visto com ênfase em uma “condição física muscular, saudável, em um pacote completo apresentado de forma atrativa”.
Artigo 51 – Finais: Vestimenta para a Rodada 2 (Poses Compulsórias e Posedown)
51.1 A vestimenta para a Rodada 2 é a mesma da Rodada 1.
Artigo 52 – Finais: Apresentação da Rodada 2 (Poses Compulsórias e Posedown)
52.1 Apresentação da Rodada 2:
Os procedimentos para a Rodada 2 serão as seguintes:
1.Apenas os seis melhores competidores da Rodada 1 avançam para a Rodada 2
2. Os seis finalistas são levados ao palco, em uma fileira única e em ordem numérica. Cada competidor é chamado pelo número, nome e país.
3. Os seis competidores realizarão as sete Poses Compulsórias, como um grupo e ao mesmo tempo, no centro do palco. Após a 7ª pose, o Chefe de Árbitros reverterá a ordem dos competidores e repetirá as sete Poses Compulsórias novamente. Esta rodada será pontuada.
4. Assim que as Poses Compulsórias são encerradas, o Chefe de Árbitros da IFBB chamará para um Posedown de 60 segundos com uma música escolhida pelo Organizador. Esta parte da rodada não será pontuada.
5. Após o Posedown, os seis competidores reconstituem a fileira única, em ordem numérica antes de realizar a saída do palco.
Artigo 53 – Finais: Pontuação da Rodada 2
53.1 Os pontos da Rodada 1 são utilizados apenas para classificar os competidores da 1ª a 15ª colocação e determinar os seis melhores competidores que avançarão para a Rodada 2 e Rodada 3. Os seis melhores competidores iniciam as finais com pontuação zerada.
1. A pontuação da Rodada 2 é realizada da seguinte maneira:
2. Apenas as Poses Compulsórias são pontuadas; o Posedown não é pontuado.
3. Cada árbitro concede a cada competidor uma classificação individual, assegurando-se de que dois ou mais competidores não recebam a mesma classificação.
4. Com nove árbitros, as duas classificações mais altas e as duas mais baixas serão descartadas. As cinco pontuações remanescentes serão somadas e então multiplicada por 2 para produzir uma “Pontuação Parcial da Rodada 2”.
5. Os árbitros utilizam o Formulário #6; e os Estatísticos utilizam o Formulário #5.
Artigo 54 – Finais: Avaliação da Rodada 2
54.1 Avaliação da Rodada 2:
Os mesmos critérios utilizados na Rodada 1 serão utilizados nesta rodada. No entanto, os árbitros devem estar mais atentos porque um competidor pode apresentar uma condição diferente se comparado aa Prévia. Portanto, os árbitros devem assegurar que esta rodada seja avaliada de uma “nova” perspectiva, assegurando que todos os competidores tenham recebido uma clara avaliação baseada na sua apresentação nesta rodada.
Artigo 55 – Finais: Apresentação da Rodada 3 (Rotina de Poses)
A Rodada 3 será realizada imediatamente a Rodada 2 (Poses Compulsórias).
55.1 A Rodada 3 será realizada sob a direção do Chefe de Árbitros da IFBB ou Diretor de Palco, da seguinte maneira:
Cada competidor é chamado ao palco, individualmente e em ordem numérica, para realizar uma rotina de poses com a música de sua escolha. A duração máxima da rotina é de 60 segundos.
Artigo 56 – Finais: Vestimenta para a Rodada 3 (Rotina de Poses)
56.1 A vestimenta para a Rodada 3 é sunga, e deve seguir os seguintes critérios:
1. Cor, material, e textura a escolha do competidor.
2. Sem ornamentos, acessórios, rendas ou bordados.
3. Com pelo menos 1 cm de altura nas laterais e cobrindo no mínimo metade dos glúteos máximos e toda a área frontal.
4.Sem calçados.
5. Sem jóias ou outros acessórios, exceto aliança de casamento.
6. Sem acessórios extras.
Artigo 57 – Finais: Pontuação da Rodada 3 (Rotina de Poses)
57.1 A pontuação da Rodada 3 é realizada da seguinte maneira:
1. Cada árbitro concede a cada competidor uma classificação individual, assegurando-se de que dois ou mais competidores não recebam a mesma classificação.
2. Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros”, para escrever as notas sobre os atletas.
3. Com nove árbitros, as duas classificações mais altas e as duas mais baixas serão descartadas. As pontuações remanescentes serão somadas para produzir uma “Pontuação Parcial da Rodada 3”.
4. Os árbitros utilizam o Formulário #6; e os Estatísticos utilizam o Formulário #5.
5. Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 3” precisam ser imediatamente quebrados, e assim a “Pontuação Parcial da Rodada 3” será adicionada a “Pontuação Parcial da Rodada 2” para produzir uma “Pontuação Final”. Os pontos da Prévia (Rodada 1) não são levados em consideração para as finais. Eles iniciam as finais no estado de “zero ponto”.
6. Se um empate ocorrer na “Pontuação Final”, o empate será quebrado utilizando-se a primeira Pontuação Parcial da rodada 2. Se um empate ainda existir, o método de “Classificação Relativa” será utilizado na Pontuação Parcial da Rodada 2.
Artigo 58 – Finais: Avaliando a Rodada 3 (Rotina de Poses)
58.1 A Rodada 3 é avaliada utilizando-se os seguintes critérios:
1. Cada árbitro avalia a rotina de poses olhando em direção a exibição de muscularidade, definição, estilo, personalidade, coordenação atlética e performance geral. Os árbitros devem observar uma rotina polida, artística, e bem coreografada, que pode incluir qualquer número de poses; no entanto, as Poses Compulsórias devem estar incluídas. O competidor deve também incluir poses intermitentes de modo a exibir o desenvolvimento muscular do seu físico. Deitar no palco, poses “obscenas”, e puxar a vestimenta de modo a exibir o lado de dentro do quadríceps ou glúteos máximos esta proibido.
2. Os árbitros são recordados que, durante esta rodada, eles estão julgando 50% físico e 50% rotina.
Artigo 59 – Finais: A Cerimônia de Premiação
59.1 A Cerimônia de Premiação
Os procedimentos para a Cerimônia de Premiação serão as seguintes:
1.Os seis competidores finalistas serão chamados no palco para participar da cerimônia de premiação.
2. O Mestre de Cerimônias, utilizando o Formulário #7, intitulado “Os 6 Finalistas”, anunciará o número, o nome, e o país do competidor na 6ª colocação e este competidor permanecerá em pé ao lado direito (quando visto de frente) do pedestal da vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônias então anunciará o número, o nome, e o país do competidor na 5ª colocação e este competidor permanecerá em pé do lado direito do pedestal da vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônias então anunciará o número, o nome, e o país do competidor na 4ª colocação e este competidor permanecerá em pé do lado esquerdo do pedestal da vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônias continuará a anunciar os resultados da 3ª e 2ª colocação, e finalmente o vencedor.
3. O Presidente da IFBB, ou seu oficial representante no campeonato, acompanhado por outros oficiais convidados por ele participarão desta Cerimônia, realizando a entrega das medalhas e/ou troféus da IFBB aos vencedores.
4. O hino nacional do país do competidor da 1ª colocação será executado imediatamente após a recepção do prêmio de campeão.
5. Após o hino nacional e o hasteamento da bandeira a cerimônia esta finalizada, e os finalistas podem ser solicitados a permanecer no palco por um breve período de tempo com finalidades fotográficas.
Descrições mais detalhadas da Cerimônia de Premiação esta disponível no Artigo 36
Artigo 60 – Categoria Overall e Premiação
60.1 Categoria Overall e Premiação
Nos Campeonatos Mundiais de Culturismo Clássico Masculino, a Categoria Overall procederá da seguinte maneira:
1.Imediatamente após a Cerimônia de Premiação para a última categoria de estatura, os quatro vencedores serão chamados ao palco em ordem numérica e enfileirados.
2. O Chefe de Árbitros da IFBB direcionará os competidores através das sete poses compulsórios em ordem numérica e, então, na ordem inversa. Assim, o Chefe de Árbitros da IFBB chamará o Posedown de 60 segundos.
3. Os árbitros utilizarão o Formulário #6, intitulado “Classificação Individual dos Árbitros (Finais)”, para classificar os atletas de 1ª a 4ª colocação.
4. Os estatísticos, utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, registrarão os pontos e determinarão a classificação final dos competidores.
5. O “Campeão Overall” será anunciado e a medalha de ouro e o troféu da IFBB do competidor serão entregues pelo Presidente da IFBB ou um oficial representante no campeonato. A medalha e o troféu serão fornecidos pela Federação Nacional organizadora.
- Os resultados da classificação das equipes e premiação – de acordo com o Artigo 38.
- Publicação dos resultados – de acordo com o Artigo 39.
Descrições detalhadas das Poses Compulsórias – Apêndice 5
Fotos de todas as Poses Compulsórias: masculino, feminino e pares mistos – Apêndice 6

CULTURISMO MASCULINO E FEMININO

Regra 19 – Introdução
O Culturismo Masculino foi reconhecido oficialmente como disciplina esportiva na versão moderna pelo Congresso da IFBB em Belgrado, Iugoslávia, em 1970.  O Culturismo Feminino foi oficialmente reconhecido com uma disciplina esportiva no Congresso da IFBB em Brugge, Bélgica, em 1982.
19.1 Geral:
As Regras da IFBB para o Culturismo Masculino e Feminino consistem de regulamentações, políticas, diretivos e decisões com a intenção de guiar a IFBB e seus Membros na administração do esporte de Culturismo Masculino e Feminino.
19.2 Regras:
As regras administrativas e técnicas que aparecem na seção de Regras Gerais são as mesmas para o Culturismo Masculino e Feminino e, portanto, não serão repetidas nesta seção.
Regra 20
– Responsabilidades dos Organizadores para os Atletas e Delegados
20.1 Responsabilidades
Os Organizadores dos Campeonatos Mundiais serão encarregados de cobrir os custos de acomodações duplas e refeições (café-da-manhã, almoço, e jantar) para os atletas e delegados, como segue abaixo:
1.                  Campeonato Mundial Masculino de Culturismo:

Para cinco dias (quatro noites) de acordo com a seguinte escala:

a.                  Três ou mais competidores - Dois delegados
b.                  Um ou dois competidores – Um delegado

Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo dois atletas  por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.
Nota 3: A menos que notado de outra maneira, um máximo de oito competidores é permitido na Equipe A (oito culturistas masculinos) e serão aceitos por Federação Nacional, sendo que, no máximo dois competidores poderão participar de uma mesma categoria.
Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.
2.                 Campeonato Mundial Feminino de Culturismo, Fitness e Bodyfitness e Masculino de Fitness:

Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.Três ou mais competidores – Dois delegados
b. Um ou dois competidores – Um delegado

Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo dois atletas por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.
Nota 3: No máximo nove atletas serão permitidos na Equipe A (duas atletas femininas culturistas, duas atletas femininas fitness, quatro atletas femininas bodyfitness, e um atleta masculino fitness) e serão aceitos por Federação Nacional, sendo que, no máximo dois competidores poderão participar de uma mesma categoria.
Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.
3.                 Campeonato Mundial Júnior e Máster de Culturismo, Fitness e Bodyfitness:

Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.                 Três ou mais competidores – Dois delegados
b.                 Um ou dois competidores – Um delegado
Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo dois atletas por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.

Nota 3: No máximo dezenove atletas será permitido na Equipe A (uma atleta feminina culturista júnior, dois atletas masculinos culturista júnior, duas atletas femininas fitness júnior, um atleta masculino fitness júnior, duas atletas femininas bodyfitness júnior, um atleta masculino culturista clássico júnior, uma atleta feminina culturista máster, sete atletas masculinos culturistas máster, uma atleta feminina bodyfitness máster) e serão aceitos por Federação Nacional, sendo que, no máximo dois competidores poderão participar de uma mesma categoria.

Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.

4.                 No Culturismo Masculino Júnior, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A” de no máximo dois competidores, sendo permitidos no máximo dois competidores na mesma categoria.
5.                 No Culturismo Feminino Júnior, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A” com no máximo uma competidora.
6.                 Exceto onde notado de outra maneira, no Culturismo Masculino, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A” com no máximo oito competidores, sendo permitidos no máximo dois competidores na mesma categoria.
7.                 No Culturismo Feminino, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A·” com no máximo duas competidoras, sendo permitidas no máximo duas competidoras na mesma categoria.
8.                 No Culturismo Masculino Máster, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A·” com no máximo sete competidores, sendo permitidas no máximo duas competidoras na mesma categoria.
9.                 No Culturismo Feminino Máster, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A·” com no máximo uma competidora.
10.              A categoria de Culturismo de Pares Mistos não está aberta atualmente em nível de Campeonatos Mundiais; no entanto, as Federações Continentais e Nacionais podem, em sua própria discrição, sediar competições de pares mistos.
Regra 21 – Categorias
21.1 Categorias:
A competição de Culturismo para os Campeonatos Mundiais está aberta as seguintes categorias:
1.                 Há oito categorias na competição de culturismo masculino em nível mundial atualmente, como segue:
a.        Super Leve                           até e incluindo 65 Kg
b.                 Leve                                       até e incluindo 70 Kg
c.                  Meio Leve                             até e incluindo 75 Kg
d.                 Meio Média                           até e incluindo 80 Kg
e.                 Média                                    até e incluindo 85 Kg
f.                    Meio Pesada                                    até e incluindo 90 Kg
g.                 Pesada                                 até e incluindo 100 Kg
h.                  Super Pesada                      acima de 100 Kg

Nota 1: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.

2.                 Há duas categorias na competição de culturismo feminino em nível mundial atualmente, como segue:
a.                 Leve                                       até e incluindo 55 kg
b.                 Pesada                                 acima de 55 kg

3.                  Há duas categorias na competição de culturismo masculino júnior em nível mundial atualmente, como segue:
a.                  Leve                                       até e incluindo 75 Kg
b.                  Pesada                                 acima de 75 Kg

4.                 Há uma categoria aberta na competição de culturismo feminino júnior em nível mundial.
5.                 Há sete categorias na competição de culturismo masculino máster em nível mundial, atualmente como segue:
40 a 49 anos de idade inclusive:
a.                 Leve                           até e incluindo 70 Kg
b.                 Média                        até e incluindo 80 kg
c.                  Meio Pesada                        até e incluindo 90 kg
d.                 Pesada                                 acima de 90 kg

50 a 59 anos de idade inclusive:
a.      Média                              até e incluindo 80 Kg
b.      Pesada                           acima de 80 Kg

60 anos de idade e acima: uma categoria aberta

6.     Há uma categoria aberta na competição de culturismo feminino máster  em nível mundial: 35 anos de idade e acima.
Regra 22 - Rodadas
22.1 Rodadas:
O Culturismo Masculino e Feminino consistirá das três rodadas seguintes:
1.     Pré-Julgamento – Rodada 1 (Comparações e Poses Compulsórias)
2.     Finais – Rodada 2 (Poses Compulsórias e Posedown)
3.     Finais – Rodada 3 (Rotina Livre de Poses)

Regra 23 – Pré-Julgamento: Rodada Eliminatória
23.1 Geral:
O Pré-Julgamento, que é aberto para o público em geral, será realizado um dia após o Registro Oficial dos Atletas. Uma programação para o pré-julgamento de cada categoria deverá ser publicado e permitir aproximadamente 30 minutos para o julgamento de cada categoria. A fim de oferecer aos atletas, tempo para aquecimento e mudança de roupa, os competidores devem estar na área de aquecimento nos bastidores pelo menos 30 minutos antes do horário de início para o julgamento de sua categoria. Todos os competidores serão responsáveis por assegurar que estarão presentes e preparados para competir quando sua categoria for chamada ao palco, do contrário, eles poderão ser desclassificados da competição.
23.2 Procedimentos da Rodada Eliminatória:
Quando houver mais de 15 atletas competindo na mesma categoria, uma rodada eliminatória será realizada com o propósito de reduzir o número a 15. A rodada eliminatória procederá da seguinte maneira:
1.     Todos os atletas são chamados ao palco, enfileirados, em ordem numérica e em fila simples ou dupla, se necessário, em posição frontal.
2.     A fileira é dividida em dois grupos de tamanhos iguais e posicionada no palco de modo que um grupo esteja à esquerda e o outro grupo esteja à direita do palco. A área central do palco ficará livre com o propósito de comparações.
3.     Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco competidores ao mesmo tempo, cada grupo é conduzido à área central do palco para realizar as quatro poses compulsória seguintes:
a.      Duplo Bíceps Frontal;
b.      Peito de Lado;
c.      Duplo Bíceps de Costas;
d.      Abdominais e Coxa;
4.     Ao final das quatro poses compulsórias, toda a fileira é refeita em fila simples, e em ordem numérica antes de sair do palco.

Regra 24
– Pré-Julgamento: Vestimenta Proposta para Todas as Rodadas
24.1 Vestimenta Proposta: a vestimenta deve seguir as seguintes diretrizes:
1. Os competidores masculinos vestirão sunga de cor sólida e que não cause distração, que seja lisa e decente. Materiais metálicos, tais como fios de ouro ou prata, não podem ser utilizados na sunga. O uso de estofamento em qualquer lugar na sunga é proibido. A área frontal deve estar coberta e as laterais deve ter pelo menos 1 cm de largura.
2. Competidoras femininas
- Nesta rodada, as competidoras vestirão biquínis de uma cor sólida e que não cause distração e devem estar de acordo com padrões aceitos de gosto e decência. A parte inferior do biquíni deve cobrir pelo menos metade do glúteo máximo. Os cordões de amarração do biquíni devem ser lisos, sem ornamentos. Materiais metálicos, tais como fios de ouro e prata, não podem ser utilizados no biquíni. O uso de enchimentos em qualquer lugar no biquíni é proibido.
3. Na segunda e terceira rodada, as competidoras femininas vestirão um biquíni de duas peças; ficando a cor e o estilo a critério da competidora, com exceção das citações desta regra. O biquíni estilo “fio-dental” está estritamente proibido. A parte inferior do biquíni deve cobrir no mínimo metade das nádegas durante todo o tempo em que a competidora estiver no palco.
4. O biquíni será inspecionado durante o registro e nos bastidores antes da competidora ter a permissão de subir no palco. Se o biquíni não estiver nos padrões da IFBB, a competidora terá cinco (5) minutos para cumprir a regra, do contrário, a competidora será desclassificada.
5. Exceto para alianças de casamento, os (as) competidores (as) não podem estar com calçados, óculos, relógio, pulseiras, brincos, colares, braceletes, pingentes para orelhas, peruca, ornamentos que causem distração ou auxílios artificiais para a imagem.
6. Os competidores não podem mascar chicletes ou doces enquanto estiverem no palco.
7. O uso de acessórios durante a apresentação do Pré-Julgamento e as Finais é estritamente proibido.
8. A aplicação excessiva de óleo no corpo é estritamente proibida; no entanto, óleo corporal, cremes para a pele ou hidratantes podem ser utilizados com moderação.
9. Durante o Pré-Julgamento, o cabelo deve estar preso fora dos ombros de modo que não esconda a musculatura dos ombros e parte superior das costas. O cabelo pode ser estilizado para as finais.
10. O Chefe Oficial da IFBB, ou o delegado representante, terá o direito de determinar se a vestimenta de uma competidora se encontra nos padrões aceitáveis e gosto e decência.

Regra 25
– Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada Eliminatória
25.1 Pontuação da Rodada Eliminatória
A pontuação da Rodada Eliminatória será realizada da seguinte maneira:
1.     Neste momento, os árbitros estarão avaliando o físico geral para o grau de proporção, simetria, tamanho e qualidade muscular (densidade, separação, definição) e também o tom da pele. A pontuação para a Rodada Eliminatória procederá da seguinte maneira:
2.     Se houver mais de 15 competidores, os árbitros selecionaram os 15 melhores colocando um “X” ao lado de seus números, utilizando o Formulário #1, intitulado “Rodada Eliminatória”.
3.     Utilizando-se o Formulário #2, intitulado “Rodada Eliminatória”, os estatísticos transcreverão a seleção dos árbitros nesta folha e então registrarão a pontuação dos árbitros para selecionar os 15 melhores atletas.
4.     Se houver um empate entre dois ou mais atletas na 15ª colocação, os atletas empatados voltarão ao palco, e mais uma vez serão conduzidos através das quatro poses compulsórias com o propósito de quebrar o empate.
5.     Apenas 15 competidores avançarão para a Rodada 1.


Regra 26
– Pré-Julgamento: Apresentação da Rodada 1
26.1 Apresentação da Rodada 1:
A Rodada 1 será realizada imediatamente após a Rodada Eliminatória e será procedida da seguinte maneira:
1.     Todos os atletas semifinalistas serão chamados ao palco em grupo, enfileirados em ordem numérica e devem permanecer em posição frontal. Deverá ser dado um momento a mesa de árbitros para que possam anotar o número dos competidores em suas folhas de pontuação.
2.     Em grupos de não mais do que 5 competidores ao mesmo tempo, e em ordem numérica, os competidores serão conduzidos a realizar no palco as quatro poses compulsórias seguintes:
a.      Duplo Bíceps Frontal;
b.      Peito de Lado;
c.      Duplo Bíceps de Costas;
d.      Abdominais e Coxas;
Este grupo inicial de competidores e a realização das quatro poses compulsórias tem o objetivo de auxiliar os árbitros em determinar quais competidores participarão das próximas poses compulsórias.
3.     Os árbitros podem agora solicitar pedidos individuais de comparações ao Diretor de Palco. Não menos do que três e não mais do que cinco competidores serão comparados ao mesmo tempo. O Chefe de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco terá a discrição de descartar ou emendar uma solicitação do árbitro para comparações desejadas.
4.     Na Rodada 1, os árbitros compararão os competidores enquanto eles forem conduzidos a realizar as sete poses compulsórias seguintes:
a-     Duplo Bíceps de Frente;
b-     Expansão de Dorsais de Frente (apenas para homens);
c-      Peito de Lado;
d-     Duplo Bíceps de Costas;
e-     Expansão de Dorsais de Costas (apenas para homens);
f-        Tríceps de Lado;
g-     Abdominais de Coxas;
5.     Todas as comparações individuais serão realizadas no centro do palco e em ordem; da esquerda para a direita, como exigido pelo árbitro.
6.     O número total de comparações será decidido pelo Árbitro Chefe ou o Diretor de Palco. Todos os árbitros terão a oportunidade de submeter pelo menos um pedido de comparações. Sendo ou não aquela comparação utilizada pela discrição do Árbitro Chefe ou o Diretor de Palco.
7.     É esperado que cada árbitro assista todas as comparações e não apenas aquelas que um árbitro específico solicitou. As diretrizes em “Como Avaliar o Físico de um Atleta” está anexado como Apêndice 2.
8.     Todos os competidores passarão por pelo menos uma comparação.
9.     Ao final da última comparação, todos os competidores retornarão a fileira, em ordem numérica, antes de sair do palco.

Regra 27
 – Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada 1
27.1 Pontuação da Rodada 1:
A pontuação da Rodada 1 será realizada da seguinte maneira:
1.     Utilizando-se o Formulário #3, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Pré-Julgamento)”, cada árbitro premiará um competidor com uma classificação individual do 1ª a 15ª colocação, assegurando-se de que dois ou mais atletas não tenham recebido a mesma classificação. Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “ Notas Pessoais dos Árbitros” para registrar suas avaliações sobre cada competidor.
2.     Os estatísticos transcreverão cada classificação dos árbitros no Formulário #5, intitulado “ Folha de Pontuação (Estatísticos)”, sob a secção do Pré-Julgamento. Eles então eliminarão as duas notas mais altas e as duas mais baixas, e somarão as cinco notas renascentes e registrarão os resultados na coluna marcada como “ Pontuação Parcial da Rodada 1”. Uma vez que todas as pontuações tenham sido determinadas, eles irão registrar a classificação de competidor na coluna marcada como “Classificação da Rodada 1”. O competidor com a pontuação parcial mais baixa é premiado com a 1ª colocação enquanto o competidor com a pontuação parcial mais alta será classificado em 15º.
3.     Caso um empate ocorra na “Pontuação Parcial da Rodada 1”, o empate será quebrado utilizando-se o método de “Classificação Relativa”. Cada pontuação individual dos árbitros para os atletas empatados é comparada baseada coluna por coluna com um ponto sendo colocado no topo do número para o atleta com a menor colocação. Todas as nove pontuações da mesa de arbitragem são incluídas no cálculo de quebra. O número de pontos é registrado para cada atleta empatado. O atleta com o maior número de pontos é declarado o vencedor do empate e, portanto, recebe a melhor classificação.
4.     A folha de pontuação dos estatísticos e as pontuações dos atletas devem ser mantidas estritamente confidenciais, de conhecimento apenas dos estatísticos, o Chefe de Árbitros da IFBB, e o Secretário de Árbitros que são obrigados a não divulgar qualquer ponto, ou pontos, para qualquer competidor, árbitro, outro oficial, administrador, organizador, ou membro do Conselho Executivo da IFBB, exceto o Presidente.
5.     Os pontos para o Pré-Julgamento serão utilizados para classificar os 15 competidores da 1ª a 15ª colocação. Os 6 melhores competidores do Pré-Julgamento avançarão para as Finais e começarão as Finais com zero pontos.
6.     Na discrição do Chefe de Árbitros da IFBB, os 6 melhores finalistas podem ser anunciados após o Pré-Julgamento e as Finais.
Regra 28
 – Pré-Julgamento: Avaliação da Rodada 1
28.1 Geral:
Quando estiver avaliando o físico de um competidor, um árbitro deve seguir uma rotina de procedimentos que permitirá uma avaliação compreensiva do físico com um todo. Durante as comparações das poses compulsórias o árbitro deve olhar primeiro para os grupos musculares primários sendo exibidos. O árbitro deve então analisar todo começando pela cabeça, e olhar cada parte do físico em uma seqüência descendente, começando com as impressões gerais, observar o volume muscular, desenvolvimento equilibrado, densidade muscular e definição.
A análise descendente deve considerar cabeça, ombros, peitorais, todos os músculos dos braços, frente do tronco para os peitorais, a união dos peitorais e deltóides, abdominais, cintura, coxas, pernas panturrilha e pés. O mesmo procedimento será utilizado para as poses de costas considerando-se o trapézio superior e inferior, redondo e infra-espinhais, eretores da espinha, o grupo dos glúteos, o bíceps femural na parte posterior da coxa, e panturrilhas e pés.
Uma avaliação detalhada dos vários grupos musculares deve ser realizada durante as comparações, tempo do qual ajudará o árbitro a comparar a forma, a densidade, e a definição muscular, enquanto ainda tem em mente o desenvolvimento geral equilibrado do competidor. As comparações das poses compulsórias não podem ser superenfatizadas já que estas comparações ajudarão o árbitro a decidir qual competidor possui o físico superior do ponto de vista de volume muscular, desenvolvimento equilibrado, densidade muscular e definição.
28.2 Avaliando o Físico Masculino:
Na avaliação do pré-julgamento, a forma geral e a forma dos vários grupos musculares são importantes. O árbitro deverá favorecer os competidores com o físico harmônico e clássico. O árbitro deve analisar uma boa postura e comportamento atlético, estrutura anatômica correta (incluindo a estrutura corporal, a largura dos ombros, a altura do peito, curvas vertebrais corretas, membros e tronco em boa proporção, pernas retas, não pernas curvadas ou com geno valgo). O árbitro também deve analisar um bom tom de pele com ausência de cirurgias ou outras cicatrizes, manchas, acnes ou tatuagens, que a IFBB considera como pele desconfigurada, cabelo arrumado, pés e dedos bem formados. Quando houver dificuldade em classificar dois ou mais competidores que parecem estar no mesmo nível, o árbitro deverá analisar falhas nestes aspectos listados acima que ajudarão a diferenciar entre os competidores. A descrição detalhada das poses compulsórias masculinas podem ser encontradas no Apêndice 2, ponto 1.1.
28.3 Avaliando o Físico Feminino:
Primeiramente, e antes de tudo, o árbitro deve ter em mente que esta é uma categoria feminina de culturismo, e que a meta é procurar um físico feminino ideal. Portanto, o aspecto mais importante é a forma – um físico musculoso ainda feminino. Os outros aspectos são similares àqueles descritos na avaliação do físico masculino, mas o desenvolvimento muscular não deve ser excessivo a ponto de lembrar o físico masculino. A definição dos músculos femininos não deve ser confundida com magreza resultante de uma perda de peso extrema. As competidoras devem ser avaliadas se possuem ou não uma maneira graciosa de caminhar sobre o palco. A descrição detalhada das poses compulsórias femininas podem ser encontradas no Apêndice 2, Ponto 1.2.
Regra 29
 – Finais: Cerimônia de Abertura
29.1 Cerimônia de Abertura:
A Cerimônia de Abertura de todas as Competições Internacionais normalmente será procedida da seguinte maneira:
1.     Todas as Federações Nacionais participantes aparecerão no palco em ordem alfabética, sendo que a Federação Nacional anfitriã aparecerá por último.
2.     O delegado chefe de cada equipe da Federação Nacional carregará a bandeira do país e/ou o nome à frente da equipe e ficará em fila na frente do palco com os membros da equipe atrás (tipicamente um competidor por Federação Nacional). O delegado chefe deve estar vestido com o uniforme oficial da IFBB. Os competidores devem se apresentar no palco com a vestimenta de competição.
3.     A bandeira nacional da Federação Nacional do país anfitrião e a bandeira da IFBB serão erguidas enquanto o hino nacional do país da Federação Nacional anfitriã é tocado.
4.     Os seguintes membros serão chamados para discursar, na seguinte ordem:
a.      O presidente da Federação Nacional anfitriã; e/ou
b.      O Vice-Presidente da IFBB da área; e/ou
c.      O convidado de honra da Federação Nacional anfitriã; e/ou
d.      O presidente da IFBB, ou Diretor Oficial da IFBB, que irá declarar o campeonato aberto para competição.
5.     Os oradores deixarão o palco seguido pelas equipes das Federações Nacionais.
6.     A Federação Nacional anfitriã pode apresentar uma mostra cultural, que deve durar no máximo 20 minutos.
Regra 30
– Finais: Apresentação da Rodada 2 (Poses Compulsórias e Posedown)
30.1 Apresentação da Rodada 2:
Os procedimentos para a Rodada 2 serão os seguintes:
1.     Os 6 melhores finalistas serão chamados ao palco enfileirados e em ordem numérica. Cada competidor será chamado pelo número, país e nome.
2.     Os 6 melhores finalistas realizarão as 7 poses compulsórias, em grupo e ao mesmo tempo, no centro do palco. Após a 7ª pose compulsória, o árbitro chefe inverterá a ordem dos competidores e repetirá as sete poses compulsórias novamente. Esta rodada será pontuada.
3.     Assim que as poses compulsórias terminarem, o Árbitro Chefe da IFBB solicitará uma música de 60 segundos para o posedown, de escolha do Organizador. Esta parte da Rodada 2 não será pontuada.
4.     Após o Posedown, os 6 finalistas enfileiram-se novamente, em ordem numérica, antes de sair do palco.
Regra 31
– Finais: Pontuação da Rodada 2
31.1 Pontuação da Rodada 2:
A pontuação da Rodada 2 será realizada da seguinte maneira:
1.     Os árbitros, utilizando o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)”, e utilizando o mesmo critério para julgar como foi utilizado durante o Pré-Julgamento, classificará os competidores da 1ª a 6ª colocação, não dando a dois atletas a mesma classificação.
2.     Os estatísticos transcreverão cada classificação dos árbitros para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, sob a seção de Finais, Rodada 2. Eles irão eliminar as duas maiores e as duas menores notas (se houver nove árbitros) ou uma mais alta e uma mais baixa (se houver menos de nove árbitros) para cada competidor, e somará as notas remanescentes. Estas pontuações serão multiplicadas por 2 e serão registradas na coluna marcada “Pontuação Parcial da Rodada 2”.
3.     Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 2” não necessitam ser imediatamente quebrados, já que a “Pontuação Parcial da Rodada 2” será soma da “Pontuação Parcial da Rodada 3” para produzir uma “Pontuação Final”.
Regra 32
– Finais: Avaliação da Rodada 2
32.1 Avaliação da Rodada 2:
O mesmo critério utilizado na Rodada 1 será utilizado nesta rodada. No entanto, os árbitros devem estar cientes do fato que um competidor pode apresentar uma condição diferente nas finais comparados ao Pré-Julgamento. No entanto, os árbitros devem assegurar-se de que esta rodada é julgada de uma “nova” perspectiva, assegurando-se que todos os competidores serão avaliados baseados na apresentação desta rodada.
Regra 33
– Finais: Pontuação da Rodada 3
33.1 Pontuação da Rodada 3 (Rotinas):
A pontuação para a Rodada 3 procederá da seguinte maneira:
1.     Utilizando-se o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)”, cada árbitro classificará os competidores da 1ª a 6ª posição, não marcando a mesma classificação para mais de um atleta.
2.     Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros”, para escrever as notas sobre os atletas.
3.     Os estatísticos recolherão o Formulário #3 dos árbitros e transcreverão suas classificações para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)” sob a Rodada 3. Os estatísticos transcreverão cada classificação dos árbitros  para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, sob a seção das Finais, Rodada 3. Eles então eliminarão as duas notas mais altas e as duas mais baixas (se houver nove árbitros) ou uma nota mais alta e uma mais baixa (se houver menos de nove árbitros) para cada competidor, e somará as notas remanescentes e registrarão os resultados na coluna marcada “Pontuação Parcial da Rodada 3”.
4.     Eles irão então adicionar a “Pontuação Parcial da Rodada 2” e a “Pontuação Parcial da Rodada 3” para produzir a “PONTUAÇÃO FINAL”. Os pontos do Pré-Julgamento (Rodada 1) não são levados em consideração nas Finais. Cada competidor começa as Finais com “zero pontos”. Eles então irão registrar a classificação de cada competidor sob a coluna marcada “CLASSIFICAÇÃO FINAL”. O competidor com a menor “PONTUAÇÃO FINAL” é premiado com o 1º lugar enquanto o competidor com a maior “PONTUAÇÃO FINAL” será premiado com o 6º lugar.
5.     Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 3” não necessitam ser imediatamente quebrados, já que a “Pontuação Parcial da Rodada 3” será somada a “Pontuação Parcial da Rodada 2” para produzir a “PONTUAÇÃO FINAL”
6.     Caso um empate ocorra na “PONTUAÇÃO FINAL”, o empate será quebrado utilizando-se as subpontuações da rodada 2. Se o empate persistir, o método de “Classificação Relativa” será utilizado nas Subpontuações da Rodada 2.
7.     Durante o Pré-Julgamento e as Finais, o Secretário dos Árbitros será responsável por recolher as folhas de marcações individuais dos árbitros e, junto com o Árbitro Chefe da IFBB, examinará as marcações com o propósito de determinar sua exatidão.  Caso um árbitro marque uma classificação com grande variação em relação aos demais árbitros, o Árbitro Chefe pode solicitar uma explicação ao árbitro em questão sobre sua marcação. O Chefe de Árbitros tem autoridade para remover da mesa qualquer árbitro que esteja desonesto ou incompetente, ou que possua um comportamento de conduta imprópria ou inaceitável.
Regra 35
– Finais: Avaliação da Rodada 3
35.1 Avaliação da Rodada 3:
A Rodada 3 será avaliada utilizando-se os seguintes critérios:
1.     Nas Finais, os árbitros avaliarão cada competidor em quão bem eles apresentam seus físicos com música. O árbitro analisará uma rotina suave, artístico, e uma rotina bem coreografada que pode incluir qualquer número de poses, no entanto, as poses compulsórias devem ser incluídas. O competidor também deve incluir pausas intermitentes a fim de mostrar o desenvolvimento muscular do seu físico. Poses “Moon”e puxar a vestimenta de modo a mostrar a parte interna do quadríceps ou do glúteo máximo é estritamente proibido. Na competição de pares mistos, os competidores serão avaliados individualmente e como uma unidade  com atenção particular sendo dada em quão bem seus físicos individuais  complementam um ao outro e como eles se movem em harmonia.
2.     Os árbitros são relembrados que, durante esta rodada, eles estão julgando 50% físico e 50% rotina.
3.     O uso de acessórios estes proibido.
Regra 36
– Finais: Cerimônia de Premiação
36.1 Procedimentos:
1. A Cerimônia de Premiação normalmente é procedida da seguinte maneira:
2. O Mestre de Cerimônias, utilizando o Formulário #7, intitulado “Os 6 Finalistas”, anunciará o número, o nome, e o país do competidor na 6ª colocação e este competidor permanecerá em pé ao lado direito (quando visto de frente) do pedestal da vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônias então anunciará o número, o nome, e o país do competidor na 5ª colocação e este competidor permanecerá em pé do lado direito do pedestal da vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônias então anunciará o número, o nome, e o país do competidor na 4ª colocação e este competidor permanecerá em pé do lado esquerdo do pedestal da vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônias continuará a anunciar os resultados da 3ª e 2ª colocação, e finalmente o vencedor.
3. O Presidente da IFBB, ou seu representante, entregará a Medalha de Ouro ao competidor oficial da IFBB para o competidor na 1ª colocação, a Medalha de Prata ao competidor oficial da IFBB para o competidor na 2ª colocação, e a Medalha de Bronze ao competidor oficial da IFBB para o competidor na 3ª colocação. As medalhas oficiais da IFBB são prêmios obrigatórios em todos os Campeonatos Mundiais e devem ser adquiridas do Escritório da IFBB pelo Organizador. Além disso, o Organizador deve fornecer seis troféus para os seis finalistas, troféus estes que também são entregues pelo Presidente, ou seu representante, assim que cada vencedor é chamado ao pedestal da vitória. O Organizador também fornecerá Certificados de Excelência que serão entregues aos 6 melhores finalistas.
4. O hino nacional do país do atleta vencedor será executado imediatamente após o atleta receber seu(s) premio(s) de 1º colocado. Ao mesmo tempo em que o hino é executado, as bandeiras dos 3 países melhores colocados serão lentamente hasteadas, sendo que a bandeira do pais 1º colocado ficará mais alta do que a bandeira do 2º colocado, e esta mais alta do que a bandeira do 3º colocado.
5. Após o hino nacional e o hasteamento da bandeira a cerimônia esta completa, e a permanência dos finalistas no palco podem ser solicitadas por um período de tempo com o propósito de fotografias.
Regra 37
– Categoria Overall e Premiação
37.1 Categoria Overall e Premiação
A Categoria Overall nos Campeonatos Mundiais de Culturismo Masculino e Feminino será procedida da seguinte maneira:
1.   Imediatamente após a Cerimônia de Premiação para a última categoria de peso corporal, os vencedores de todas as categorias serão chamados ao palco em ordem numérica e enfileirados.
2.   O Árbitro Chefe da IFBB conduzirá os competidores através das poses compulsórias (7 para homens, 5 para mulheres) e comparações, se necessário. Então anunciará um Posedown de 60 segundos.
3.   Os árbitros utilizarão o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)”, para classificar cada atleta da 1ª a 8ª colocação (1ª e 2ª para mulheres). Os árbitros devem classificar cada atleta e não apenas selecionar um atleta que pensam ser o Campeão Overall.
4.   Os Estatísticos, utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, registrarão as pontuações e determinarão as classificações dos competidores, da 1ª a 8ª colocação.
5.   O “Campeão Overall” será anunciado e a Medalha de Ouro e o Troféu Overall do competidor serão entregues pelo Presidente da IFBB ou seu representante no campeonato.
Regra 38
 – Resultados da Classificação por Equipes e Premiação
38.1 Melhor Equipe Nacional:
A pontuação para A Melhor Nacional inclui apenas os competidores da equipe A e ocorrerá da seguinte maneira:
1.     O Secretário dos Árbitros utilizará a “Folha de Pontuação (Estatísticos)” para todas as categorias a fim de colocar os nomes dos 10 melhores países dos atletas em cada categoria no Formulário #8, intitulado “Melhor Equipe Nacional”, e utilizará esta folha para computar cada “ponto” e “classificação” de cada país. A escala de pontuação deverá ser a seguinte: 1º - 16, 2º - 12, 3º - 9, 4º - 7, 5º - 6, 6º - 5, 7º - 4, 8º - 3, 9º - 2, 10º - 1. Quando as três melhores equipes nacionais forem determinadas, uma cerimônia de vitoria similar a das categorias será realizada. O Presidente, ou seu representante, entregará os prêmios de Melhor Equipe Nacional, prêmios estes que serão fornecidos pela federação nacional organizadora, para os 3 melhores países.
2.     Os delegados chefes ou líderes de equipes dos 3 melhores países receberão os prêmios em nome de seus países.
3.     Se ocorrer um empate entre dois ou mais países, o empate será quebrado determinando-se que país possui o “maior número de primeira colocação, o maior número de segunda colocação, o maior número de terceira colocação”, e assim por diante. Se o empate persistir, o pais que tiver mais competidores no torneio será melhor classificado.
Regra 39
 – Publicação de Resultados
39.1 Resultados:
O Secretário dos Árbitros recolherá a Folha de Pontuação dos Estatísticos para cada categoria e transcreverá os resultados no Formulário #9, intitulado “Folha de Pontuação Final”. As cópias destas folhas serão distribuídas para as delegações nacionais, imprensa escrita, rádio e televisão imediatamente após a competição (normalmente no Banquete de Despedida).
39.2 Conteúdos:
A “Folha de Pontuação Final” conterá o número, o nome, e o país de cada atleta participante em cada categoria, listando os 15 melhores finalistas na ordem do número do competidor, junto com seu ponto rodada-a-rodada, seguido pelos atletas remanescentes pelo número, nome e país.
39.3 Outros Conteúdos:
Todos os resultados da categoria Overall e toda a classificação das Equipes Nacionais serão listados na “Folha de Pontuação Final”.
39.4 Emendas:
A IFBB publicará online no site www.ifbb.com qualquer emenda subseqüente(s) aos resultados iniciais da competição, por exemplo, como um resultado de controle de doping.
Regra 40
– Competição de Pares Mistos
40.1 Competição de Pares Mistos:
Quando uma competição de pares mistos é realizada, o julgamento seguirá os mesmos procedimentos utilizados em outras categorias de competição, exceto:
1-     Se houver mais de 15 pares mistos, uma Rodada Eliminatória será realizada com a intenção de reduzir o número para 15 pares, e esta Rodada será conduzida através das Regras 23-25.
2-     O Pré-Julgamento (Rodada 1) será conduzido de acordo com as Regras 26-28, exceto para o número máximo de pares mistos que pode ser comparado a qualquer momento não excederá 3.
3-     Os pares mistos realizarão as mesmas 5 poses compulsórias como no culturismo feminino .
4-     Os 6 melhores classificados no final do Pré-Julgamento qualificará para as Finais.
5-     As finais serão conduzidas através das Regras 30-35. Os seis melhores finalistas realizarão as poses compulsória e posedown.
6-     A cerimônia de premiação para os pares mistos serão conduzida pela regar 36.
7-     As mesmas formas de julgamentos que foram utilizadas para julgar as outras categorias da competição serão utilizadas com os pares mistos.
Regra 41
– Avaliando os Pares Físicos
41.1 O árbitro avaliará o par misto com  uma entidade. Aqueles cujos físicos são iguais, harmônicos, e se complementam um ao outro receberá melhor classificação do que aqueles pares mistos dissimilares e desequilibrados, como no caso de um ectomorfico alto e mulher mesomorfica baixa, ou vice-versa.
Este fator continuará sendo de importância também na segunda roda. Quando poses similares e os movimentos dos membros são utilizados por dois companheiros, como nas poses compulsórias, classificações mais altas serão dadas com maior exatidão na realização de linhas idênticas. As cinco poses compulsórias para os pares mistos, são:
a.     Duplo Bíceps Frontal;
b.     Peito de Lado
c.      Duplo Bíceps de Costas
d.     Tríceps Lateral
e.     Abdominais e coxas

41.2 Vestimenta para os Pares Mistos:
As regras para vestimenta para homens e mulheres também serão aplicadas para os pares mistos, no entanto, preferência será dada pelo árbitro para sunga e biquínis correspondentes e similares que reforçam os físicos dos pares mistos e sua aparência como uma unidade combinada. Ambos os membros do par devem fixar o mesmo número do lado esquerdo do biquíni ou da sunga.
41.3 Nas Finais, os pares mistos serão avaliados individualmente e como uma unidade com particular atenção à como seus físicos individuais complementam uns aos outros e como ele se movimentam em harmonia.

APÊNDICE 5
DESCRIÇÃO DETALHADA DAS POSES COMPULSÓRIAS
1.1  POSES COMPULSÓRIAS MASCULINAS:
1.     Duplo Bíceps Frontal
Em pé de frente para os árbitros, com as pernas e os pés alinhados e um pouco separados, o competidor levantará ambos os braços à altura dos ombros e flexionar os cotovelos. As mãos devem estar cerradas e viradas para baixo de modo a causar uma contração dos bíceps e dos músculos dos antebraços, que são os principais grupos musculares que serão avaliados nesta pose. Além disso, o competidor deve tentar contrair o máximo de outros grupos musculares quanto possível já que os árbitros avaliarão todo o físico, da cabeça aos pés.
O árbitro avaliará primeiro os músculos do bíceps procurando por um desenvolvimento volumoso, com “pico” do músculo, verificando se há ou não uma divisão definida entre as seções anterior e posterior do bíceps e continuará a avaliação da cabeça aos pés observando o desenvolvimento dos antebraços, deltóides, peitorais, união de peitorais e deltóides, abdominais, coxas e panturrilhas. O árbitro avaliará também a densidade, a definição, e o equilíbrio geral.
O árbitro deve avaliar primeiro se o competidor consegue mostrar uma boa expansão dos dorsais, criando um formato em “V” do tronco. Então o árbitro deverá continuar sua avaliação dos pés a cabeça, observando primeiro os aspectos gerais do físico e depois concentrar-se nos aspectos mais detalhados dos vários grupos musculares.
2.     Expansão de Dorsais de Frente
Em pé de frente para os árbitros, com as pernas e pés um pouco separados, o competidor colocará as mãos abertas, ou punhos cerrados, contra, ou apertando a parte inferior da cintura ou oblíquos e expandirão os músculos dorsais. Ao mesmo tempo, o competidor deve tentar contrair o máximo de outros grupos musculares frontais quanto possível. Será estritamente proibido o competidor puxar a sunga de modo a exibir a parte superior interna do quadríceps.
3.     Peito de Lado
O competidor pode escolher o lado para posar, a fim de mostrar o “melhor” braço. Ele ficará em pé com o seu lado direito ou esquerdo voltado para os árbitros e flexionar o braço mais próximo dos árbitros em um ângulo de posição direita, com o punho cerrado e, com a outra mão segurando o punho. A perna mais próxima dos árbitros será flexionada no joelho e repousar sobre os dedos dos pés. O competidor irá então expandir o peito através de uma pressão para cima do braço que está flexionado e contrair o bíceps o máximo possível. Ele também irá contrais os músculos das coxas, em particular, o grupo bíceps femural, e aplicar uma pressão para baixo nos dedos dos pés, mostrando os músculos da panturrilha contraídos.
O árbitro deve estar atento aos músculos peitorais e o arco das costelas, o bíceps, o bíceps femural e as panturrilhas, e concluir a avaliação com uma análise da cabeça aos pés. Nesta postura o árbitro poderá avaliar os músculos da coxa e da panturrilha de perfil, que irá ajudar na graduação do seu desenvolvimento comparativo mais apurado.
4.     Duplo Bíceps de Costas
Em pé de costas para os árbitros, o competidor flexionará os braços e os punhos como realizado na pose Duplo Bíceps Frontal, e colocará um pé para trás, repousando sobre os dedos dos pés. Ele então contrairá os músculos dos braços e também os músculos da parte superior dos ombros e inferior das costas, coxas e panturrilhas. O árbitro avaliará primeiro os músculos dos braços e depois realizar uma analise da cabeça aos pés, no qual haverá mais músculos para avaliar do que em qualquer outra pose. Isto inclui o pescoço, os deltóides, o bíceps, o tríceps, o antebraço, o trapézio, o redondo, o infraespinhal, os eretores da espinha, os oblíquos externos, o grande dorsal, os glúteos, o bíceps femural,  e as panturrilhas. Esta pose, provavelmente mais do que em outras, ajudará o árbitro a determinar a qualidade da densidade muscular dos competidores, bem como a definição e o equilíbrio geral.
5.     Expansão Dorsal de Costas
Em pé de costas para os árbitros, o competidor colocará as mãos na cintura com seus cotovelos mantidos abertos, um pé para trás e repousando sobre os dedos dos pés. Ele então contrairá os músculos grandes dorsais em máxima expansão e mostrar a contração da panturrilha através de uma pressão aplicada nos dedos dos pés. O competidor deverá esforçar-se para mostrar a panturrilha oposta a que foi apresentada na pose de Duplo Bíceps de Costas, assim o árbitro poderá avaliar ambas as panturrilhas de modo igual. Será estritamente proibido ao competidor puxar a sunga de modo a exibir os músculos glúteos máximo. Os árbitros devem analisar uma ótima expansão dorsal, mas também uma boa densidade muscular e mais uma vez concluir com uma análise da cabeça aos pés.
6.     Tríceps de Lado
O competidor pode escolher o lado para posar de modo que mostre o “melhor” braço. Ele ficará em pé com lado esquerdo ou direito voltado para os árbitros e colocará ambas as mãos para trás, ou entrelaçando os dedos segurando o braço da frente pelo punho com a mão que está a atrás. A perna mais próxima dos árbitros estará com o joelho flexionado e o pé nivelado com o solo. O competidor exercerá uma pressão contra seu braço da frente, portanto, causando uma contração do tríceps. Ele levantará o peito e contrairá os músculos abdominais, e também as coxas e panturrilhas. O árbitro deverá analisar primeiro o tríceps, e concluir com uma avaliação da cabeça aos pés. Nesta pose, o arbitro será capaz de avaliar os músculos da coxa e panturrilha de perfil, o que ajudará na graduação de seu desenvolvimento comparativo mais apurado.
7.     Abdominais e Coxas
Em pé de frente para os árbitros, o competidor colocará ambos os braços atrás da cabeça e uma perna a frente. Então irá contrair os músculos abdominais “curvando” o tronco levemente frente. Ao mesmo tempo, ele contrairá os músculos da coxa da perna que esta a frente. O árbitro avaliará primeiro os músculos abdominais e coxas, e então fazer uma avaliação da cabeça aos pés.

1.2. POSES COMPULSÓRIAS FEMININA
1.     Duplo Bíceps Frontal
Em pé de frente para os árbitros, com as pernas e os pés alinhados e um pouco separados, A competidora levantará ambos os braços à altura dos ombros e flexionar os cotovelos. As mãos devem estar cerradas e viradas para baixo de modo a causar uma contração dos bíceps e dos músculos dos antebraços, que são os principais grupos musculares que serão avaliados nesta pose. Além disso, a competidora deve tentar contrair o máximo de outros grupos musculares quanto possível já que os árbitros avaliarão todo o físico, da cabeça aos pés.
O árbitro avaliará primeiro os músculos do bíceps procurando por um desenvolvimento volumoso, com “pico” do músculo, verificando se há ou não uma divisão definida entre as seções anteriores e posteriores do bíceps e continuará a avaliação da cabeça aos pés observando o desenvolvimento dos antebraços, deltóides, peitorais, união de peitorais e deltóides, abdominais, coxas e panturrilhas. O árbitro avaliará também a densidade, a definição, e o equilíbrio geral.
2.     Peito de Lado
A competidora pode escolher o lado para posar, a fim de mostrar o “melhor” braço. Ela ficará em pé com o seu lado direito ou esquerdo voltado para os árbitros e flexionar o braço mais próximo dos árbitros em um ângulo de posição direita, com o punho cerrado e, com a outra mão segurando o punho. A perna mais próxima dos árbitros será flexionada no joelho e repousar sobre os dedos dos pés. A competidora irá então expandir o peito através de uma pressão para cima do braço que está flexionado e contrair o bíceps o máximo possível. Ela também irá contrair os músculos das coxas, em particular, o grupo bíceps femural, e aplicar uma pressão para baixo nos dedos dos pés, mostrando os músculos da panturrilha contraídos.
O árbitro deve estar atento aos músculos peitorais e o arco das costelas, o bíceps, o bíceps femural e as panturrilhas, e concluir a avaliação com uma análise da cabeça aos pés. Nesta postura o árbitro poderá avaliar os músculos da coxa e da panturrilha de perfil, que irá ajudar na graduação do seu desenvolvimento comparativo mais apurado.
3.     Duplo Bíceps de Costas
Em pé de costas para os árbitros, a competidora flexionará os braços e os punhos como realizado na pose Duplo Bíceps Frontal, e colocará um pé para trás, repousando sobre os dedos dos pés. Ela então contrairá os músculos dos braços e também os músculos da parte superior dos ombros e inferior das costas, coxas e panturrilhas. O árbitro avaliará primeiro os músculos dos braços e depois realizar uma analise da cabeça aos pés, no qual haverá mais músculos para avaliar do que em qualquer outra pose. Isto inclui o pescoço, os deltóides, o bíceps, o tríceps, o antebraço, o trapézio, o redondo, o infraespinhal, os eretores da espinha, os oblíquos externos, o grande dorsal, os glúteos, o bíceps femural, e as panturrilhas.
4.     Tríceps de Lado
A competidora pode escolher o lado para posar de modo que mostre o “melhor” braço. Ela ficará em pé com lado esquerdo ou direito voltado para os árbitros e colocará ambas as mãos para trás, ou entrelaçando os dedos segurando o braço da frente pelo punho com a mão que está a atrás. A perna mais próxima dos árbitros estará com o joelho flexionado e o pé nivelado com o solo. A competidora exercerá uma pressão contra seu braço da frente, portanto, causando uma contração do tríceps. Ela levantará o peito e contrairá os músculos abdominais, e também as coxas e panturrilhas. O árbitro deverá analisar primeiro o tríceps, e concluir com uma avaliação da cabeça aos pés. Nesta pose, o arbitro será capaz de avaliar os músculos da coxa e panturrilha de perfil, o que ajudará na graduação de seu desenvolvimento comparativo mais apurado.
5.     Abdominais e Coxas
Em pé de frente para os árbitros, o competidor colocará ambos os braços atrás da cabeça e uma perna a frente. Então irá contrair os músculos abdominais “curvando” o tronco levemente frente. Ao mesmo tempo, ele contrairá os músculos da coxa da perna que esta a frente. O árbitro avaliará primeiro os músculos abdominais e coxas, e então fazer uma avaliação da cabeça aos pés.
Modalidade Miss BiquíniWellness 2010
IFBB - BRASIL
Regras para Competição Nacional e Regional
Válida para o início de Novembro de 2009
Artigo 1º:
Da Categoria – Miss Biquíni Wellness
É uma categoria que esta em fase experimental pela CBCM, com o propósito de adaptar algumas alterações de regras que se torne mais confortável para participante.
A Miss Biquíni vem ganhando espaço no eixo Rio e São Paulo, expandido para mais 22 Estados Brasileiros e que dará oportunidade para garotas jovens e adultas de mostrarem o que á de melhor na mulher brasileira de forma sensual tanto de forma facial como estrutural.

Para nosso orgulho no Arnold Classic Weekend de 2009realizado em Ohio tivemos a oportunidade de ver uma competição similar com a denominação de Miss Biquíni. No Brasil conhecida até então por Garota Wellness será redefinida este ano para MISS BIQUINI WELLNESS, porém com alguns novos conceitos para adequar ao padrão físico da mulher brasileira.
Artigo 2º:
DEFINIÇÃO DA PALAVRA WELLNESS:
Wellness é uma palavra que vem do inglês:

Well= bem
ness= estado de espírito, forma de ser... etc
por ex: happyness= felicidade
fitness= estar em forma

Wellness resume se em estar de bem com a vida, em bem estar físico e mental, estar com a auto estima elevada, sentir-se bem e feliz por simplesmente existir!”
Esta categoria foi dedicada às mulheres modelos ou não que possuem um corpo estético e tonificado, iniciando pela beleza facial e acabando com a beleza estrutural de curvas e siluetas de uma verdadeira musa brasileira.

Parágrafo Único: A MISS BIQUINI WELLNESS, não pode apresentar características das modalidades de FITNESS ou BODY FITNESS.

DAS REGRAS:
Artigo 3º:
O físico deverá apresentar curvas suaves e firmes, sem que demonstre excesso de taxa de gordura onde demarque a silueta da MISS BIQUINI WELLNESS.
Exemplo de excesso:
- gorduras entre braço e tríceps,
- gorduras entre abdome e oblíquo
- gorduras entre pernas e femoral
- excesso de estrias ocasionadas aumento e diminuição de peso em excesso.  
Artigo 4º:
- As candidatas não devem possuir massa muscular em que se destaque perante as modalidades esportiva de Fitness e Body Fitness.
- O percentual de gordura será avaliado pela arbitragem  não excedendo a padrões alusivo de exagero 
- Não será permitido participação de candidatas com percentual excessivo de gordura.
- percentuais acima do estabelecido não poderá ser enquadrado como atleta de alta performance de rendimento ou de pessoas normais, podendo ser descartas na seletiva prévia
Artigo 5º:
Dos Critérios de Julgamento da  MISS BIQUINI WELLNESS
Categoria:
·        até 1,60 cm;
·        até 1,65 cm;
·        até 1.67cm
·        acima de  1.67cm

·        Obs.: menos de 4 (quatro) participantes  em qualquer uma das categorias ocorrerá unificação dentre elas ;
Artigo 6º:
Da condição física :
·        Baixo grau de volume muscular;
·        Proporção física de um corpo feminino tonificado;
·        Tônus muscular super moderado;
·        Aparência saudável,
·        Beleza facial
·        Beleza estética
·        Tom de pele Bronzeada;
Artigo 7º:
Da apresentação no palco;

a - O apresentador chamará ao palco cada participante individualmente explanando suas qualificações entre elas: “ nome, idade, cidade, representação, cor dos cabelos, olhos, busto, quadril, pernas, profissão”, enquanto a participante fará  sua trajetória em toda circunferência do palco desde a lateral meio e lateral esquerda, em seguida regressando a sua posição numérica que será demarcada pela comissão técnica. ( todo este roteiro será passado um dia antes da competição).

b - Cada participante será terá que caminhar no palco em estilo desfile de moda, dando um giro na área lateral direita do palco, central e lateral esquerda

c - O participante deverá exibir sorriso e simpática que estará somando nos requisitos já expostos

d - Cada participante terá um minuto e meio de desfile em cada round.

e- Os juízes estará analisando o conjunto completo dos itens a,b,c,d,e,f,g,h,i, j

Artigo 8º:
I ROUND
a-     Top de coton na cor livre , podendo expor a logo marca do patrocinador na parte frontal.
b-     Shorts de coton cor livre  , além da logo marca do patrocinador na perna lateral esquerda;
c-      Meias brancas,

d-     Tênis de cor branca (com detalhes em colorido a gosto), solado único sem mola, planta uniforme.

e-     O apresentador novamente elencará o nome número, cidade e empresa, clube ou academia que está representando

     g - Cada participante será terá que caminhar no palco em estilo desfile de moda, dando um giro na área lateral direita do palco, central e lateral esquerda

     h - O participante deverá exibir sorriso e simpática que estará somando nos requisitos já expostos

     i - Cada participante terá um minuto e meio de desfile em cada round

     j- Os juízes estará analisando o conjunto completo dos itens a,b,c,d,e,f,g,h,i,

Artigo 9º
II ROUND
Vestimenta:
a - Biquíni de 2 (duas) peças, de cor a gosto,  modelo cavado moderado, com no  mínimo 3 (Três) cm de largura na parte de trás do biquíni, sem aparentarvulgaridade no palco;

b-     Brilhos, lantejoulas serão permitidos na vestimenta;

c-      Sandália aberta na cor branca com salto em acrílico no máximo 15 cm de altura, porém não será permitido modelo Anabela para o salto;

d-     Brincos, pulseiras, (jóias no geral) será permitido neste round ;

e-     Tom de pele bronzeado, para melhor visualização do físico no palco;

f-        O uso de pouco óleo será permitido, porém o uso de tinta no corpo será permitido desde que não comprometa a aparência geral da atleta, por exemplo, uma fina camada de tinta ou pasta;

     g - O participante deverá exibir sorriso e simpática que estará somando nos requisitos já expostos

     h -  Cada participante terá um minuto e meio de desfile em cada round

     i - Os juízes estará analisando o conjunto completo dos itens a,b,c,d,e,f,g,h,i,
Artigo 10º:
Das Poses para Avaliação para I,II e III Round:
           O quarto de volta deverá ser realizado girando para o lado direito.
1.      Perfil Esquerdo: a atleta ainda posicionada de frente para o palco realizará ¼ de giro para a direita de forma graciosa e delicada, finalizando-o com o joelho direito estendido e o joelho esquerdo levemente flexionado. Braço esquerdo apoiado na cintura ou solto, e braço direito solto. A pose deve ser descontraída e o olhar voltado para os juízes. Ver foto como exemplo!

2.      De Costas: a atleta posicionada de perfil esquerdo realizará ¼ de giro para a direita de forma graciosa e delicada, finalizando-o de costas para os árbitros com os joelhos relaxados e um pouco afastados. O afastamento das pernas não deve comprometer a elegância e beleza no palco. A pose deve ser descontraída e o olhar voltado para o fundo do palco. Ver foto como exemplo!


3.      Perfil Direito: a atleta ainda posicionada de costas para o palco realizará ¼ de giro para a direita de forma graciosa e delicada, finalizando-o com o joelho esquerdo estendido e o joelho direito levemente flexionado. Braço direito apoiado na cintura ou solto, e braço esquerdo solto. A pose deve ser descontraída e o olhar voltado para os juízes. Ver foto como exemplo!

4.      De Frente: a atleta posicionada de perfil direito realizará ¼ de giro para a direita de forma graciosa e delicada, finalizando-o de frente para os árbitros com os joelhos relaxados e um pouco afastados. O afastamento das pernas não deve comprometer a elegância e beleza no palco. A pose deve ser descontraída e o olhar voltado para os árbitros. Ver foto como exemplo!

Artigo 11º
Do Confronto
Será chamada de acordo com o número de participantes no mínimo de 3 e no máximo de 5 participantes
O coordenador de palco deverá posicionar na ordem cada participante e em seguida o apresentador solicitará as poses 1, 2, 3 e 4 do artigo 10, em seguida o coordenador de palco colocará cada uma na inversão de ordem para que os demais juízes possa avaliar melhor o conjunto de cada.
Após o confronto retornará de volta para o  alinhamento das posições numérica no palco.
Artigo 12º:
DO SISTEMAS DE AVALIAÇÃO DE CLASSIFICAÇÃO DOS JUIZES
- A performance de física, beleza facial e estética  terá 66% de peso na nota ou seja a soma do I e II ROUND
- Quanto ao II  ROUND 33% na somatória
- A composição da mesa será de no mínimo de 7 juízes e no máximo de 9
- No caso de mais de 15 participantes será selecionado as 15 melhores com apontamento na sumula dos juízes sobre um X nas permanecem.
- A soma de maior número de X é permanecerá como classificada para semifinal.
- Na semifinal será selecionada por ordem de classificação de 1º ao 15º colocado, onde será cortando pelos mesários a melhor nota de cada juiz e a pior nota no caso que esteja trabalhando com 7 juízes na soma do I e II round
- Para 9 juízes será cortada as duas melhores notas e as duas piores notas de cada um e assim teremos o pró médio de classificação.
- Somente irá para as finais no máximo 10 atletas
- Dos 10 finalistas será julgada do 1º ao 10º colocada
- Dos 10 finalistas será zerada a nota e julgará somente mais uma passagem do III Round, dando a classificação entre as campeãs
- Quanto ao critério de SIMPATIA será julgado separadamente para premiação individual já no I ROUND.

Artigo 13º:

DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS


Observações Importantes:
Serão desclassificadas durante a pesagem e inscrição as participantes que tiverem:
·       alto teor de gordura corporal ;
·       Vestimenta geral do I, II  Round ;
·       Volume e definição muscular como de uma atleta Fitness ou Body Fitness;
·       Cicatriz de cirurgia, excesso de celulites, e anomalias agressivas.
Cada Federação ou interessados a realizarem o Miss Biquíni Wellness, deverá se aprimorar na realização de curso de arbitragem na CBC-M.

As federações ou ligas deverá implementar a nova modalidade em cada estado desde que tenha um representante técnico sob  supervisão da CBC-M.

Quanto aos participantes não será obrigatório a filiação, basta somente pagar as inscrição de participação no valor R$ 100,00

Somente podem realizar está competição, federações filiadas, no caso de empresas particulares desde que tenha o aval da CBC-M que é a detentora dos direitos legais do concurso.

Não será permitida a realização prévia desta competição/concurso sem que aja o treinamento adequado para aplicação desta regra

A participante poderá trazer seus respectivos maquiadores e técnicos sem qualquer tipo de restrição.

O local de competição/concurso deverá dispor:

- Camarins adequado ou adaptados com cabides de roupas
- Espelhos
- Fita de Demarcação 3 m
- Local para guarda volumes dos participantes
- Segurança
- Palco no mínimo de 1.10 , 1.20, 1.50 ( podendo ter passarela central ou lateral ( podendo ser realizado também em casas de show  teatros e litoral.
- Iluminação Show
- Cadeiras e mesas para arbitragem e  públicos 
- com espelho luzes, cadeiras mesas e um Studio fotográfico adaptados ao evento
- Painel de fundo digitalizado no formato de quadro com Box trans de 30 cm de largura
- Sonorização
- Tela de projeção
-  Número para os participante formato de   8.5 cm com 0.5 cm de borda na cor vermelha
- Água


ATENCIOSAMENTE


ALEXANDRE PAGNANI
PRESIDENTE



DIANA PAULA MONTEIRO NORONHA DE ALMEIDA
COORDENADORA TÉCNICA PERMANENTE

FITNESS FEMININO

Regra 61 – Introdução
O Fitness Feminino foi oficialmente reconhecido como uma nova disciplina esportiva pelo Conselho Executivo e o Congresso da IFBB no dia 3 de Dezembro de 1995 (Guam, USA)
61.1 Geral:
As Regras da IFBB para o Fitness Feminino consistem de regulamentações, políticas, diretivos e decisões que pretendem orientar a IFBB e seus Membros na administração do esporte do Fitness Feminino.
61.2 Regras:
Algumas regras administrativas e técnicas que aparecem na seção de Regras Gerais são as mesmas para o Fitness e, portanto, não são repetidas nesta seção.

Regra 62 – Responsabilidades dos Organizadores para Atletas e Delegados
62.1 Responsabilidades:
Os Organizadores dos Campeonatos Mundiais serão encarregados de cobrir os custos de acomodações duplas e refeições (café-da-manhã, almoço, e jantar) para as atletas e delegados, como segue abaixo:
1.                 Campeonato Mundial Feminino de Culturismo, Fitness e Bodyfitness e Fitness Masculino:

Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.                  Três ou mais competidores - Dois delegados
b.                  Um ou dois competidores – Um delegado
Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe “A” por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo duas atletas  por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe “A” por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.
Nota 3: No máximo nove atletas serão permitidas na Equipe “A” (duas atletas culturismo feminino, duas atletas fitness feminino, quatro atletas bodyfitness feminino, e um atleta fitness masculino) e serão aceitos por Federação Nacional, sendo que, no máximo duas competidoras poderão participar de uma mesma categoria.
Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada na competição.
2.                  Campeonato Mundial Júnior e Máster de Culturismo, Fitness e Bodyfitness:
Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.                 Três ou mais competidores – Dois delegados
b.                 Um ou dois competidores – Um delegado
Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe “A” por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo duas atletas por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe “A” por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.

Nota 3: No máximo dezenove atletas serão permitidos na Equipe “A” (uma atleta culturismo feminino júnior, dois atletas culturismo masculino júnior, duas atletas fitness feminino júnior, um atleta fitness masculino júnior, duas atletas bodyfitness feminino júnior, um atleta culturismo clássico masculino júnior, uma atleta culturismo máster feminino, sete atletas culturismo máster masculino, uma atleta bodyfitness máster feminino) e serão aceitos por Federação Nacional, sendo que, no máximo duas competidoras poderão participar de uma mesma categoria.

Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.
3. No Fitness Feminino Júnior, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A” com no máximo duas competidoras, sendo que no máximo duas competidoras poderão competir em qualquer categoria.
4. No Fitness Feminino Sênior, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe “A” com no máximo duas competidoras, sendo que no máximo duas competidoras poderão participar em qualquer categoria.
5.As regras que guiam a Equipe “B” podem ser encontradas na Regra 9.5

Regra 63  – Categorias
63.1 Categorias:
A competição de Fitness Feminino no Campeonato Mundial é aberta com as seguintes categorias:
1.     Há duas categorias no fitness feminino sênior em competições de nível mundial:
a.      Categoria A: até e incluindo 163 cm
b.      Categoria B: acima de 163 cm

2.     Há duas categorias no fitness feminino júnior em competições de nível internacional:
a.      Categoria A: até e incluindo 163 cm
b.      Categoria B: acima de 163 cm

Regra 64  – Rodadas
64.1 Rodadas:
O Fitness Feminino consiste das três rodadas a seguir:
1.     Prévia – Rodada 1 (Rotinas Fitness)
2.     Prévia – Rodada 2 (Quartos-de-voltas)
3.     Finais – Rodada 3 (Rotinas Fitness e Quartos-de-voltas)

Regra 65  – Prévia: Rodada Eliminatória
65.1 Geral:
A Prévia, que é aberta para o público em geral, será realizada um dia após o Registro Oficial das atletas. Uma programação de horários para a Prévia de cada categoria deverá ser publicado. A fim de oferecer as atletas tempo para o aquecimento e a troca de roupa, as competidoras devem estar nos bastidores na área de aquecimento pelo menos 30 minutos antes do horário de início do julgamento de sua categoria. Todos as competidoras serão responsáveis em assegurar que estarão presentes e preparadas para competir quando sua categoria for chamada ao palco, do contrário a atleta pode ser eliminada da competição.
65.2 Procedimentos da Rodada Eliminatória:
Uma Rodada Eliminatória é realizada quando houver mais de 15 competidoras em uma categoria. A Rodada Eliminatória será realizada como segue:
1. As atletas são chamadas ao palco, em ordem numérica e em fileira única, ou fileira dupla se houver necessidade.
2. A fileira será dividida em dois grupos de tamanhos iguais e posicionada no palco de modo que um grupo permaneça do lado esquerdo; e o outro grupo permaneça do lado direito. O centro do palco ficará livre para fins de comparações.
3. Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco atletas ao mesmo tempo, cada grupo será direcionado para a área central do palco para a realização dos quartos-de-volta.
4. O Árbitro Chefe da IFBB direcionará as competidoras através dos quartos-de-volta, que são:
a. Quarto-de-volta para Direita
b. Quarto-de-volta de Costas
c. Quarto-de-volta para Direita
d. Quarto-de-volta de Frente
5. Ao completar os quartos-de-volta, a fileira única é refeita, em ordem numérica antes da saída do palco.
Nota: As competidoras não podem mascar chicletes ou balas enquanto estiverem no palco.

Regra 66  – Prévia: Vestimenta para a Rodada Eliminatória e Rodada 2
66.1 Vestimenta para a Rodada Eliminatória e a Rodada 2 (Biquíni):
A vestimenta para a Rodada Eliminatória e a Rodada 2 (Biquíni) deve seguir os seguintes critérios:
1.     O biquíni deve ser de duas peças e opaco.
2.     A cor e o estilo do biquíni e do salto-alto serão de escolha das competidoras, exceto como indicado abaixo.
3.     O biquíni deve cobrir no mínimo metade do glúteo máximo e toda a área frontal.
66.2 O cabelo pode ser estilizado.
66.3 Exceto para a aliança de casamento e/ou brincos pequenos, jóias não podem ser utilizadas.
66.4 O Delegado Oficial da IFBB, ou o delegado representante terá o direito de  determinar se a vestimenta de uma competidora encontra-se nos padrões aceitáveis de gosto e decência.

Regra 67  – Prévia: Pontuação da Rodada Eliminatória
67.1 Pontuação da Rodada Eliminatória
1. Neste momento, os árbitros deverão avaliar o físico geral para o grau atlético, proporção e tom da pele. A pontuação para a Rodada Eliminatória  procederá da seguinte maneira:
2. Se houver mais de 15 competidoras, os árbitros selecionarão as 15 melhores atletas colocando um “X” ao lado de seus números, utilizando o Formulário #1, intitulado “Rodada Eliminatória (Árbitros)”.
3. Utilizando o Formulário # 2, intitulado “Rodada Eliminatória (Estatísticos)”, os estatísticos transcreverão as seleções dos árbitros para esta folha e, então, registrar a pontuação dos árbitros para selecionar as 15 melhores competidoras.
4. Se houver um empate entre duas ou mais atletas na 15ª colocação, as atletas empatadas terão que voltar ao palco, e os árbitros realizarão uma reavaliação dos quatro quartos-de-volta.
5. Apenas 15 competidoras avançarão para a Rodada 1.

Regra 68  – Vestimenta para a Rodada 1 (Rodada Fitness)
68.1 Vestimenta para a Rodada 1:
A vestimenta para a Rodada 1 deve estar conforme os seguintes critérios:
1.     As competidoras podem se vestir da maneira como acharem adequado para realizar suas rotinas, exceto como citado abaixo.
2.     Os biquínis “fio-dental” são proibidos. “O “fio-dental” não pode ser usado sobre meia-calça”, ou calças.Além disso, o “fio-dental” não pode ser utilizado embaixo de uma saia ou outro tipo de roupa de modo que revele as nádegas enquanto a competidora estiver sobre o palco. A parte inferior do biquíni deve cobrir no mínimo metade das nádegas durante toda a rotina.
3.     Enquanto estiver no palco, se uma peça de roupa dor retirada para revelar um “fio-dental”, a música será interrompida e a competidora será imediatamente desclassificada.
4.     A vestimenta de rotina será inspecionada nos bastidores antes da competidora entrar no palco. Se a vestimenta não estiver de acordo com as normas da IFBB, a competidora terá 5 minutos para cumprir as exigências, caso contrário, será desclassificada.
5.     Tênis esportivos podem ser utilizados, à escolha da competidora.
6.     As competidoras podem utilizar logotipos do patrocinador em sua vestimenta de rotina, com dimensões que não devem exceder 4 x 8 cm.
7.     As Federações Nacionais e delegados chefe são responsáveis em checar se suas atletas fitness estão completamente cientes das regras da IFBB, como detalhadas.
8.     Qualquer dúvida sobre as vestimentas devem ser levadas ao conhecimento do Delegado Chefe da IFBB ou o Chefe de Árbitros durante o Registro Oficial das atletas.

Regra 69  – Prévia: Apresentação da Rodada 1
69.1 Procedimentos:
A rodada 1 será procedida da seguinte maneira:
1.     Cada competidora será chamada ao palco em ordem numérica para realizar uma rotina fitness com a música de sua escolha, sendo que a duração deve ser no máximo de 90 segundos.
2.     Cada competidora será chamada pelo número, nome e país.
3.     O uso de acessórios é limitado
Nota: Exceto notado de outra forma aqui, uma competidora, e/ou outra pessoa ou pessoas, não devem portar ou mesmo transportar qualquer objeto, aparato ou item no palco ou fora dele, seja antes, durante, ou após a rotina. Uma competidora terá a permissão de utilizar um item pequeno, ou vestido ou manipulado, que será considerado parte do traje da competidora, como por exemplo, chapéu, bola, bastão. Todo item descartado durante a rotina deve ser removido pelo competidor quando este sair do palco sem causar atrasos na competição. As competidoras devem declarar todos os acessórios no Registro Oficial.
4.     Nenhuma competidora poderá utilizar qualquer aparato que deixaria material sobre o palco e que 1) apresente risco para a segurança das outras competidoras, e/ou 2) que requeira uma limpeza ou reparo no palco antes de outro uso.
5.     Uma competidora deverá entrar e sair do palco para realizar a rotina sem o auxilio de qualquer outra pessoa ou pessoas, por exemplo, não pode ser carregada para o palco.
6.     Por razões de segurança, o uso de óleos corporais na rodada de rotina está estritamente proibido.

Regra 70  – Prévia: Pontuação da Rodada 1
70.1 Pontuação da Rodada 1:
A pontuação da Rodada 1 será realizada da seguinte maneira:
1.     Utilizando o Formulário #3, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Prévia)” cada árbitro irá classificar as atletas da 1ª a 15ª colocação, sendo que, duas atletas não podem obter a mesma classificação.
2.     Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros”, para escrever observações sobre as atletas.
3.     Os estatísticos recolhem os Formulários #3 dos árbitros e transcrevem suas classificações para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, sob a Rodada 1. Então, no caso de nove árbitros, eles descartam as duas maiores e as duas menores classificações; somam as classificações remanescentes, e escrevem o total na coluna marcada como “Pontuação Parcial da Rodada1”.
4.     Caso ocorra um empate na “Pontuação Parcial da Rodada 1”, o empate não necessita ser imediatamente quebrado já que a “Pontuação Parcial da Rodada 1”deverá ser somada a “Pontuação Parcial da Rodada 2”para produzir uma “Pontuação da prévia”.

Regra 71  – Prévia: Avaliação da Rodada 1
71.1 Avaliação da Rodada 1:
A Rodada 1 será avaliada utilizando-se os seguintes critérios:
1. Cada árbitro avalia a rotina observando o estilo, a personalidade, a coordenação atlética e o desempenho geral. Os árbitros devem também observar as competidoras que realizam movimentos de força e flexibilidade, e também movimentos ginásticos. A rotina pode incluir demonstração aeróbica, de dança, ginásticas ou outras demonstrações de talento atlético. Não há movimentos obrigatórios.
2.  Os árbitros são lembrados de que, durante esta rodada, eles estão julgando APENAS a rotina fitness e NÃO o físico.

Regra 72  – Prévia: Apresentação da Rodada 2 (Quartos-de-volta)
72.1 Apresentação da Rodada 2:
Os procedimentos para a Rodada 2 serão os seguintes:
1. Toda a categoria será chamada ao palco, em uma fileira única e em ordem numérica.
2. A fileira será divida em dois grupos de tamanhos iguais que serão posicionados no palco de maneira que um grupo permaneça à esquerda do palco; e o outro grupo permaneça à direita do palco. A parte central do palco ficará livre para propósitos de comparações.
3. Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco competidoras ao mesmo tempo, cada grupo será direcionado ao centro do palco para realizar os quartos-de-volta.
4. Esta divisão inicial das competidoras em grupo, e a realização dos quartos-de-volta, tem como finalidade auxiliar os árbitros na determinação de quais competidores participará das comparações seguintes.
5. Agora os árbitros podem solicitar ao Chefe de Árbitros da IFBB ou ao Diretor de Palco, comparações individuais das competidoras para avaliações. Não menos do que três e não mais do que cinco competidores serão comparados ao mesmo tempo. O Chefe de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco terão a discrição para descartar ou acatar um pedido individual dos árbitros para comparações se necessário.
6. Todas as comparações individuais serão levadas ao centro do palco e em ordem, da esquerda para a direita, como exigido pelo árbitro.
7. O número de comparações e o final das comparações serão decididos pelo Chefe de Árbitros ou pelo Diretor de Palco.
8. Todas as competidoras serão submetidas à pelo menos uma comparação.
9. Ao término da última comparação, todas as competidoras retornarão a fileira única, e em ordem numérica, antes de sair do palco.

Regra 73  – Prévia: Pontuação da Rodada 2
73.1 Pontuação da Rodada 2:
A pontuação da Rodada 2 será realizada da seguinte maneira:
1. Utilizando o Formulário #3, intitulado “Classificação Individual dos Árbitros (Prévia)”, cada árbitro classificará uma competidora individualmente da 1ª a 15ª colocação, assegurando-se de que duas ou mais competidoras não recebam a mesma classificação. Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros” anotar observações sobre cada competidora.
2. Utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, com nove árbitros, as duas classificações mais altas e as duas mais baixas serão descartadas. As classificações remanescentes serão somadas para produzir a “Pontuação Parcial da Rodada 2” e uma “Classificação da Rodada 2”
3. Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 2” não necessitam ser imediatamente quebrados já que a “Pontuação Parcial da Rodada 2” será somada a “Pontuação Parcial da Rodada 1” para produzir uma “PONTUAÇÃO DA PRÉVIA” e “CLASSIFICAÇÃO DA PRÉVIA”
4. Caso um empate ocorra na “PONTUAÇÃO DA PRÉVIA”, deverá ser quebrado utilizando-se primeiro a “Pontuação Parcial da Rodada 2”. Caso ainda permaneça o empate, ele será quebrado utilizando-se o método de “Classificação Relativa” e a pontuação da Rodada 2 das atletas.
Nota: O procedimento do Método de Classificação Relativa
Cada classificação individual dos árbitros para as atletas empatadas será comparada coluna a coluna com um ponto sendo colocado acima dos números para as atletas com as menores classificações. As pontuações regulares de todos os nove árbitros da mesa serão inclusos no cálculo de quebra do empate. O número de pontos será registrado para cada uma das atletas empatadas. A atleta com maior número de pontos será declarada a vencedora do empate e receberá a melhor colocação.
5.                 As 10 melhores atletas da Prévia avançarão para as Finais.

Regra 74  – Prévia: Avaliação da Rodada 2
74.1 Avaliação da Rodada 2:
A Rodada 2 será avaliada utilizando-se os seguintes critérios:

1.     O árbitro deverá avaliar primeiro a aparência atlética geral do físico. Esta avaliação deve levar em consideração todo o físico. A avaliação começa com uma impressão geral do físico, devendo-se levar em consideração o cabelo e a beleza facial; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico desenvolvido de forma equilibrada e simétrica; a condição e o tom da pele; e a habilidade da atleta se apresentar com confiança, equilíbrio e graça.
2.     O físico deverá ser avaliado com seu nível de tônus muscular geral, conquistados através de comportamentos atléticos. Os grupos musculares devem possuir um aspecto arredondado e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal. O físico não deve ser nem excessivamente musculoso e nem excessivamente magro e deve estar sem grandes separações musculares ou estriações. Os físicos que forem considerados muito musculosos ou muito magros serão desclassificados.
3.     A avaliação deve considerar também a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deve ser de aparência suave e saudável, e sem celulite. O rosto, o cabelo e maquiagem são complementos do “Pacote Total” apresentado pela a atleta.
4.     A avaliação do físico da atleta pelo árbitro deve incluir a apresentação geral, desde o momento em que ela caminha no palco  até o momento em que ela sai do palco. A qualquer momento, a competidora fitness deve ser vista com ênfase em um físico “saudável, condicionado e atlético”, num  “Pacote Total” apresentado de modo atrativo.
5.     Os árbitros são advertidos novamente de que esta não é uma competição de culturismo. As atletas devem possuir músculos tonificados, no entanto, sem o volume e a vascularização apresentada nas competições de culturismo.

Regra 75  – Finais: Rodada 3 (Rotina Fitness e Quartos-de-voltas)
75.1 Procedimentos:
As 10 melhores atletas da Prévia avançarão para as Finais, que consiste de uma rodada como segue:
1.     Rodada 3, Parte 1: (Rotina Fitness)
2.     Rodada 3, Parte 2: (Quartos de voltas)

Regra 76  – Finais: Vestimenta para a Rodada 3
76.1 A vestimenta para a Rodada 3 deve estar de acordo com os seguintes critérios:
1. Rodada 3, Parte 1 (Rotina Fitness) – a mesma vestimenta descrita na Regra 68
2. Rodada 3, Parte 2 (Quartos de voltas) – a mesma vestimenta descrita na Regra 66
Nota: As competidoras podem utilizar um biquíni diferente ao da Rodada 2, no entanto, este biquíni deve estar conforme os padrões de gosto e decência como descrito na Regra 65.

Regra 77  – Finais: Apresentação da Rodada 3, Parte 1 (Rotina Fitness)
77.1 Os procedimentos para conduzir a Rodada 3, Parte 1 são os seguintes:
1. As 10 melhores atletas finalistas, com sua vestimenta da rodada fitness, serão chamadas ao palco, individualmente e em ordem numérica, para realizar suas rotinas fitness com a música de sua escolha, com duração máxima de 90 segundos. A Parte 1 não será pontuada.
2. Cada competidora será chamada pelo número, nome e país.
3. Algum tempo depois, as 6 melhores finalistas retornarão ao palco para realizar os quartos-de-volta.

Regra 78  – Finais: Apresentação da Rodada 3, Parte 2 (Quartos-de-volta)
78.1 Os procedimentos para conduzir a Rodada 3, Parte 2 são os seguintes:
1. As 6 melhores finalistas são chamadas ao palco, em ordem numérica e enfileiradas.
2. Em ordem numérica, cada competidora será chamada pelo número, nome e país.
3. Como um grupo, a fileira é direcionada para realizar os quartos-de-volta.
4. O Árbitro Chefe ou o Diretor de Palco podem, em sua discrição, conduzir o grupo para realizar os quartos-de-volta no centro do palco em ordem numérica e, em seguida na ordem inversa.
5. Ao final dos quartos-de-volta, as competidoras saem do palco.

Regra 79  -  Finais: Pontuação da Rodada 3, Parte 2
79.1 A pontuação da Rodada 3, Parte 2, é realizada como segue:
1. Os árbitros, utilizando o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)”, e utilizando o mesmo critério para o julgamento utilizado na Prévia, classificarão as competidoras do 1º ao 6º lugar, não devendo classificar duas atletas na mesma posição.
2. Os estatísticos recolherão o Formulário #6 dos árbitros e transcreverão as classificações dos árbitros para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”. Havendo nove árbitros, eles descartarão as duas classificações mais altas e as duas mais baixas; em seguida somarão as cinco classificações remanescentes, e escreverão o total sob a coluna marcada como “Pontuação Parcial da Rodada 3”
3. Os estatísticos irão então somar a “PONTUAÇÃO DA PRÉVIA” à “Pontuação Parcial da Rodada 3” para produzir a “PONTUAÇÃO FINAL” e a “CLASSIFICAÇÃO FINAL”.
4. Caso ocorra um empate na “Pontuação Parcial da Rodada3”, o empate não necessita ser imediatamente quebrado já que a “Pontuação Parcial da Rodada 3” deve ser somada a “PONTUAÇÃO DA PRÉVIA” para produzir a “PONTUAÇÃO FINAL”. Caso um empate ocorra na “PONTUAÇÃO FINAL”, o empate deverá se quebrado utilizando-se a primeira “Pontuação Parcial da Rodada 3”. Se um empate ainda persistir, o método de “Classificação Relativa” e a Pontuação Parcial da Rodada 3” serão utilizados.
5. Os árbitros utilizarão o Formulário #6; os Estatísticos utilizarão o Formulário #5.

Regra 80 – Finais Avaliação da Rodada 3, Parte 2
80.1 A Rodada 3, Parte 2 será avaliada utilizando-se o mesmo critério como detalhado na Regra 74 (Quartos-de-volta). Mais detalhes no Apêndice 7.

Regra 81  – Finais: Cerimônia de Premiação
81.1 Cerimônia de Premiação:
A cerimônia de premiação será procedida da seguinte maneira:
1. As 6 atletas finalistas serão chamadas ao palco para participar da cerimônia de premiação.
2. O Mestre de Cerimônias, utilizando o Formulário #7, intitulado “As Seis Melhores Finalistas (para MC)”, anunciará o número, o nome e país da competidora na 6ª colocação e esta ficará em pé do lado direito (quando visto de frente) do pedestal de vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônia irá então anunciar o número, o nome e país da competidora na 5ª colocação e esta ficará em pé do lado do lado direito do pedestal de vitória e receberá sua premiação. Em seguida o Mestre de Cerimônias anunciará então o número, o nome e país da competidora na 4ª colocação e esta ficará em pé do lado esquerdo do pedestal de vitória e receberá sua premiação. Depois o Mestre de Cerimônias anunciando os resultados das atletas na 3ª, e 2ª colocação e, finalmente, a vencedora.
3.O Presidente da IFBB, ou o oficial responsável da IFBB no campeonato, acompanhado pelos outros oficiais convidados por ele a participar desta Cerimônia, entregarão as Medalhas da IFBB e/ou os Troféus para os vencedores.
4.O hino nacional do país da competidora campeã será tocado imediatamente após ele receber sua premiação de 1º colocado.
5. Após o término do hino e do hasteamento da bandeira nacional, a permanência das finalistas no palco podem ser solicitada por um breve período de tempo para fins fotográficos.
- Descrições mais detalhadas sobre a Cerimônia de Premiação estão disponíveis no Regra 36.
Regra 82 – Categoria Overall e Premiação
82.1 A Categoria Overall será procedida da seguinte maneira:
1. Imediatamente após a Cerimônia de Premiação da última categoria fitness, as vencedoras das duas categorias serão levadas ao palco em ordem numérica e em fileira, vestindo o biquíni de duas peças e salto alto.
2. O Árbitro Chefe da IFBB conduzirá as competidoras através dos quartos-de-volta no centro do palco, em ordem numérica e, então na ordem oposta.
3. Os árbitros utilizarão o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)” para classificar a atleta na 1ª ou 2ª colocação.
4. Os estatísticos, utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, registrarão as pontuações e determinarão as classificações finais das competidoras.
5. A “Campeã Overall” será anunciada e a Medalha de Ouro e o Troféu da IFBB da categoria overall será entregue pelo Presidente da IFBB ou seu o oficial representante no campeonato. A medalha e o troféu serão fornecidos pela Federação Nacional organizadora.

Regra 83  – Resultado da Classificação por Equipe e Premiação
83.1 Melhor Equipe Nacional:
A pontuação da Melhor Equipe Nacional inclui apenas as competidoras da Equipe “A” e será realizada da seguinte maneira:
1.     O Secretário dos Árbitros utilizará a “Folha de Pontuação (Estatísticos)” para todas as categorias a fim de colocar os nomes dos 10 melhores países das atletas em cada categoria no Formulário #8, intitulado “Melhor Equipe Nacional”, e utilizará esta folha para computar cada “ponto” e “classificação” de cada país. A escala de pontuação deverá ser a seguinte: 1º - 16, 2º - 12, 3º - 9, 4º - 7, 5º - 6, 6º - 5, 7º - 4, 8º - 3, 9º - 2, 10º - 1. Quando as três melhores equipes nacionais forem determinadas, uma cerimônia de vitoria similar a das categorias será realizada. O Presidente, ou seu representante, entregará os prêmios de Melhor Equipe Nacional, prêmios estes que serão fornecidos pela federação nacional organizadora, para os 3 melhores países.
2.     Os delegados chefes ou líderes de equipes dos 3 melhores países receberão os prêmios em nome de seus países.
3.     Se ocorrer um empate entre dois ou mais países, o empate será quebrado determinando-se que país possui o “maior número de primeira colocação, o maior número de segunda colocação, o maior número de terceira colocação”, e assim por diante. Se o empate persistir, o país que tiver mais competidores no torneio será mais bem classificado.
- Publicação dos Resultados – de acordo com a Regra 39.
APÊNDICE 7
COMO AVALIAR A COMPETIÇÃO FITNESS
INTRODUÇÃO
Os árbitros são fortemente advertidos de que eles estão julgando uma competição de FITNESS feminino e não uma competição de CULTURISMO  feminino. O tipo de musculatura, vascularização, definição muscular e/ou magreza exibida por uma culturista feminina não será considerado aceito se exibido por uma competidora fitness feminina e, portanto, deverá ser desclassificado.
APRESENTAÇÃO GERAL:
Os árbitros são relembrados de que a postura e o comportamento da competidora, durante todo o tempo em que estiver no palco, devem ser considerados. A imagem geral exibida deverá demonstrar elegância e autoconfiança. Isto é especialmente verdadeiro durante o tempo em que a competidora estiver na postura relaxada e durante as comparações dos quartos-de-volta.
Quando estiverem na postura relaxada, as competidoras devem ser advertidas em adotar uma postura tensa, com os braços flexionados e de perfil para mostrar a musculatura. Uma postura relaxada significa que a competidora deve manter-se ereta, cabeça e olhos voltados para frente, ombros para trás, peito “para fora”, barriga “para dentro”, calcanhares unidos, e os braços RELAXADOS e soltos livremente ao lado do corpo.
Durante cada um dos quartos-de-volta, as mesmas regras deverão ser aplicadas. E mais uma vez, a postura ser ereta, cabeça e olhos voltados para frente, ombros para trás, peito “para fora”, barriga “para dentro”, calcanhares unidos, e os braços RELAXADOS e soltos livremente ao lado do corpo.
QUARTOS-DE-VOLTA
Quarto-de-volta para Direita
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, braço esquerdo pendurado e levemente atrás da linha central do corpo com uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada, braço direito relaxado e levemente a frente da linha central do corpo e com leve uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada. Os posicionamentos dos braços causarão um leve giro para a esquerda na parte superior do corpo, com o ombro esquerdo mais baixo e o ombro direito mais alto. Isto é natural e não deve ser forçado. As competidoras que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.
Quarto-de-volta de Costas
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, ambos os braços suspensos e posicionados ao lado da linha central do corpo, cotovelos levemente flexionados, polegares e dedos unidos, palmas das mãos voltadas para o corpo e mãos levemente curvadas. As competidoras que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.
Quarto-de-volta para Direita
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, braço direito pendurado e levemente atrás da linha central do corpo com uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada, braço esquerdo relaxado e levemente a frente da linha central do corpo e com leve uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada. Os posicionamentos dos braços causarão um leve giro para a esquerda na parte superior do corpo, com o ombro esquerdo mais baixo e o ombro direito mais alto. Isto é natural e não deve ser forçado. As competidoras que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.
Quarto-de-volta de Frente
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, ambos os braços suspensos e posicionados ao lado da linha central do corpo, cotovelos levemente flexionados, polegares e dedos unidos, palmas das mãos voltadas para o corpo e mãos levemente curvadas. As competidoras que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.

RODADA 1 – ROTINA:
Nesta rodada as 15 melhores atletas realizam uma rotina fitness, com uma música de sua escolha, com duração máxima de 90 segundos.
Mais uma vez, o árbitro deve considerar o “Pacote Total”, que é a rotina completa desde o momento em que a atleta apresenta-se no palco até o momento em que sai do palco.
Os árbitros são advertidos que, durante esta Rodada, eles estarão julgando APENAS a rotina fitness e NÃO o físico. O árbitro deve olhar uma rotina bem coreografada e criativa realizada com alto ritmo/velocidade.
Embora os movimentos compulsórios não sejam exigidos, a rotina deve incluir:
1. Elementos de FORÇA – por exemplo, parada de mãos com quadril abduzido, parada de mãos com as pernas unidas a frente, e/ou apoio com um braço (movimentos ginásticos tais como mortal de frente ou de costas, mortal com apoio de mãos, estrelas não são considerados elementos de força). O número de movimentos de força, seu grau de dificuldade, e a criatividade geral dos movimentos serão considerados no julgamento da rotina.
2. Elementos de FLEXIBILIDADE – por exemplo, chutes altos, espacato lateral, e/ou espacato frontal. O número de elementos de flexibilidade, seu grau de dificuldade, e a criatividade geral dos movimentos serão considerados no julgamento da rotina.
3. A VELOCIDADE ou ritmo da rotina demonstra um grau de condicionamento cardiovascular, força, e resistência. Por exemplo, se duas rotinas contiverem o mesmo número de elementos de força e flexibilidade, a rotina que for realizada no ritmo mais rápido possui maior dificuldade para ser realizada contanto que os movimentos sejam realizados corretamente. Mais uma vez, o árbitro deve sempre considerar o “Pacote Total” e não apenas a soma dos movimentos individuais. Há um componente – um elemento de “ator”, que as competidoras inserem na rotina fitness que é único deles. Isto é sua personalidade, carisma, presença de palco, agilidade, energia, atratividade como também um ritmo natural que realizaria uma parte na classificação final do competidor.

RODADA 2 – QUARTOS-DE-VOLTA DE BIQUÍNI:
Nesta rodada, as 15 melhores competidoras são levadas ao palco, em ordem numérica e enfileiradas. Elas são conduzidas através das comparações dos quartos-de-volta, primeiro como um grupo completo e, em seguida, em grupos menores de não mais do que 5 competidoras ao mesmo tempo. É esperado que cada árbitro veja todas as comparações e não apenas aquelas que um árbitro em específico solicitou.
Através das comparações, um árbitro não deve perder de vista o fato de que ele está julgando a atleta como um “Pacote Total”.
O árbitro deverá avaliar primeiro a aparência atlética geral do físico. Esta avaliação deve levar em consideração todo o físico. A avaliação começa com uma impressão geral do físico, devendo-se levar em consideração o cabelo e a beleza facial; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico desenvolvido de forma equilibrada e simétrica; a condição e o tom da pele; e a habilidade da atleta se apresentar com confiança, equilíbrio e graça.
O físico deverá ser avaliado com seu nível de tônus muscular geral, conquistados através de comportamentos atléticos. Os grupos musculares devem possuir um aspecto arredondado e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal. O físico não deve ser nem excessivamente musculoso e nem excessivamente magro e deve estar sem grandes separações musculares ou estriações. Os físicos que forem considerados muito musculosos ou muito magros serão desclassificados.
A avaliação deve considerar também a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deve ser de aparência suave e saudável, e sem celulite. O rosto, o cabelo e maquiagem são complementos do “Pacote Total” apresentado pela a atleta.
A avaliação do físico da atleta pelo árbitro deve incluir a apresentação geral, desde o momento em que ela caminha no palco  até o momento em que ela sai do palco. A qualquer momento, a competidora fitness deve ser vista com ênfase em um físico “saudável, condicionado e atlético”, num  “Pacote Total” apresentado de modo atrativo.

RODADA 3 – FINAIS:
Na Parte 1 da Rodada 3, as 10 melhores atletas finalistas realizam uma rotina fitness, com uma música de sua própria escolha, com duração máxima de 90 segundos. Esta parte da rodada não é pontuada.
Na Parte 2 da Rodada 3, as 6 melhores finalistas são levadas ao palco, em ordem numérica e em fileira trajando biquíni e salto alto. Elas serão conduzidas através de comparações dos quartos-de-volta. Esta parte da rodada é pontuada.
Esta rodada é julgada utilizando-se os mesmo procedimentos descritos durante a Rodada 2 (Biquíni).


FITNESS MASCULINO

Artigo 104 – Introdução
O Fitness Masculino foi oficialmente reconhecido como uma nova disciplina esportiva pelo Conselho Executivo da IFBB e o Congresso da IFBB no dia 27 de Novembro de 2005 (Shangai, China), após a Copa Mundial realizada em 2003, 2004, e 2005.
104.1 Geral:
As Regras da IFBB para o Fitness Masculino consistem de regulamentações, políticas, diretivos e decisões que pretendem guiar a IFBB e seus Membros na administração do esporte de Fitness Masculino.
104.2 Regras:
Várias regras administrativas e técnicas que aparecem na seção de Regras Gerais são as mesmas para o Fitness Masculino e, portanto, não são repetidas nesta seção.
Artigo 105
– Responsabilidades dos Organizadores para os Atletas e Dirigentes
105.1 Responsabilidades:
Os Organizadores dos Campeonatos Mundiais serão encarregados de cobrir os custos de acomodações duplas e refeições (café-da-manhã, almoço, e jantar) para os atletas e delegados, como segue abaixo:
1.                 Campeonato Mundial Feminino de Culturismo, Fitness e Bodyfitness e Fitness Masculino:

Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.                  Três ou mais competidores - Dois delegados
b.                  Um ou dois competidores – Um delegado
Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo dois atletas  por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.
Nota 3: No máximo nove atletas serão permitidos na Equipe A (duas atletas femininas culturistas, duas atletas femininas fitness, quatro atletas femininas bodyfitness, e um atleta masculino fitness) e serão aceitos por Federação Nacional, sendo que, no máximo dois competidores poderão participar de uma mesma categoria.
Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.
2.                  Campeonato Mundial Júnior e Máster de Culturismo, Fitness e Bodyfitness:
Para quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:

a.                 Três ou mais competidores – Dois delegados
b.                 Um ou dois competidores – Um delegado
Nota 1: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional não poderá exceder o número de categorias abertas para este campeonato, sendo permitido no máximo dois atletas por categoria.
Nota 2: O número máximo permitido de atletas na Equipe A por Federação Nacional em qualquer outra disciplina não poderá exceder o número de categorias naquela disciplina.

Nota 3: No máximo dezenove atletas serão permitidos na Equipe A (uma atleta feminina culturista júnior, dois atletas masculinos culturista júnior, duas atletas femininas fitness júnior, um atleta masculino fitness júnior, duas atletas femininas bodyfitness júnior, um atleta masculino culturista clássico júnior, uma atleta feminina culturista máster, sete atletas masculinos culturistas máster, uma atleta feminina bodyfitness máster) e serão aceitos por Federação Nacional, sendo que, no máximo dois competidores poderão participar de uma mesma categoria.

Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis pelo custo total de sua participação no evento.
Nota 5: Em acordo entre a IFBB e o Organizador, uma categoria poderá ser adicionada para a competição.
3. No Fitness Masculino Júnior, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe A com no máximo um competidor.
4.No Fitness Masculino, cada Federação Nacional poderá entrar com uma Equipe A com no máximo um competidor.
5.As regras que guiam a Equipe “B” podem ser encontradas no Artigo 9.5
Artigo 106 – Categorias:
106.1 Há uma categoria aberta nas competições de fitness masculino em nível mundial, sujeita aos seguintes critérios:
a. Até e incluindo 170 cm:
Peso máximo (kg) = (Altura<cm> - 100) + 1 <kg>
b. Até e incluindo 175 cm:
Peso máximo (kg) = (Altura<cm> - 100) + 2<kg>
c.Até e incluindo 180 cm:
Peso máximo (kg) = (Altura<cm> - 100) + 3 <kg>
d.Até e incluindo 190 cm:
Peso máximo (kg) = (Altura<cm> - 100) + 4<kg>
e.Até e incluindo 198 cm:
Peso máximo (kg) = (Altura<cm> - 100) + 4.5<kg>
f.Acima de 198 cm:
Peso máximo (kg) = (Altura<cm> - 100) + 5<kg>

2.Há uma categoria aberta nos competições de fitness masculino júnior em nível mundial, sujeita aos seguintes critérios:
Peso máximo (kg) = altura (cm) – 100 (kg)
Artigo 107
– Rodadas
107.1 O Fitness Masculino consiste das seguintes rodadas:
1.Pré-Julgamento: Rodada 1 (Rotinas de Fitness)
2.Pré-Julgamento: Rodada 2 (Quartos-de-volta)
3.Finais: Rodada 3 (Rotinas de Fitness e Quartos-de-volta)
Artigo 108
– Rodada Eliminatória
108.1  Geral:
O Pré-Julgamento, que é aberta para o público em geral, será realizado um dia após o Registro Oficial dos Atletas. Uma programação de horários para o Pré-Julgamento de cada categoria deverá ser publicado. A fim de oferecer aos atletas tempo para o aquecimento e a mudança de roupa, os competidores devem estar nos bastidores na área de aquecimento pelo menos 30 minutos antes do horário de início do julgamento de sua categoria. Todos os competidores serão responsáveis em assegurar que estarão presentes e preparados para competir quando sua categoria for chamada ao palco o atleta será eliminado da competição.
108.2 Procedimentos da Rodada de Eliminação:
Uma Rodada de Eliminação é realizada quando houver mais de 15 competidores em uma categoria. A Rodada de Eliminação será realizada como segue:
1.Os atletas são chamados ao palco, em ordem numérica e em fileira única, ou fileira dupla se houver necessidade.
2.A fileira será dividida em dois grupos de tamanhos iguais e posicionada no palco de modo que um grupo permaneça do lado esquerdo; e o outro grupo permaneça do lado direito. O centro do palco é livre para fins de comparações.
3.Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco atletas ao mesmo tempo, cada grupo será direcionado para a área central do palco para a realização dos quartos-de-volta.
4.O Dirigente de Arbitragem da IFBB direcionará os competidores através dos quartos-de-volta, que são:
a. Quarto-de-volta para Direita
b. Quarto-de-volta de Costas
c. Quarto-de-volta para Direita
d. Quarto-de-volta de Frente
5. Ao completar os quartos-de-volta, a fileira única é refeita, em ordem numérica antes da saída do palco.
Nota 5: Os competidores não podem mascar chicletes ou balas enquanto estiverem no palco.
Artigo 109
– Pré-Julgamento: Vestimenta para a Rodada Eliminatória e Rodada 2
109.1 Vestimenta para a Rodada Eliminatória e Rodada 2
A vestimenta para a Rodada Eliminatória e a Rodada deverá seguir os seguintes critérios:
1. Estilo liso opaco.
2. Cor preta sólida.
3. Fabricada em tecido (não emplastificada, emborrachada, ou com materiais similares)
4. Textura Fosca (materiais sem brilho)
5. Sem ornamentações, acessórios, rendas e ou bordados.
6. As sungas devem possui pelo menos 15 cm de altura nas laterais.
7. Sem calçados.
8. Sem jóias ou outros acessórios, exceto alianças de casamento.
109.2 O Dirigente Oficial da IFBB, ou um delegado representante, terá o direito de determinar se a vestimenta do competidor se encontra no padrão aceitável de bom gosto e decência.
Artigo 110
– Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada Eliminatória
110.1 A pontuação da Rodada Eliminatória será realizada da seguinte maneira:
1.Neste momento, os árbitros estarão avaliando o físico geral para um nível atlético, proporcional, com qualidade muscular e tom da pele. A pontuação para a Rodada Eliminatória procederá da seguinte maneira:
2.Se houver mais de 15 competidores, os árbitros selecionaram os 15 melhores colocando um “X” ao lado de seus números, utilizando o Formulário #1, intitulado “Rodada Eliminatória (Árbitros)”.
3.Utilizando o Formulário #2, intitulado “Rodada Eliminatória (Estatísticos)”, os estatísticos transcreverão as seleções dos árbitros para esta folha e então registrarão as pontuações dos árbitros para determinar os 15 melhores competidores.
4.Se houver um empate entre dois ou mais atletas na 15ª colocação, os atletas empatados terão que voltar ao palco, e os árbitros realizarão uma reavaliação dos quatro quartos-de-volta.
5.Apenas 15 competidores avançarão para a Rodada 1.
Artigo 111
 – Pré-Julgamento: Vestimenta para a Rodada 1 (Rotina Fitness)
111.1 Vestimenta para a Rodada 1
A vestimenta para a Rodada 1 deve seguir os seguintes critérios:
1.Shorts ginásticos, com pelo menos 15 cm de altura nas laterais, cobrindo pelo menos metade dos glúteos máximos e toda a área frontal, são as vestimenta mínimas.
2.A cor, o material, e a textura devem ser escolhidas pelo competidor.
3.Um calçado esportivo pode ser utilizado, da escolha do competidor.
4.Exceto para alianças de casamento, jóias e outros acessórios não podem ser utilizados.
5.O uso de acessórios está limitado.
Nota: Exceto notado de outra forma aqui, um competidor, e/ou outra pessoa ou pessoas, não devem portar ou mesmo transportar qualquer objeto, aparato ou item no palco ou fora dele, seja antes, durante, ou após a rotina. Um competidor terá a permissão de utilizar um item pequeno, ou vestido ou manipulado, que será considerado parte do traje do competidor, como por exemplo, chapéu, bola, bastão. Todo item descartado durante a rotina deve ser removido pelo competidor quando este sair do palco sem causar atrasos na competição. Os competidores devem declarar todos os acessórios no Registro Oficial.
6.A Regra 111.1.1 é respeitada, um competidor pode remover um artigo de roupa (por exemplo, sobretudo, jaqueta, camiseta, calças) se a remoção do artigo citado for realizado de uma maneira elegante, de modo a não parecer um ato de strip-tease.
7.Os competidores podem utilizar a logomarca do patrocinador em sua vestimenta de rotina, desde que as dimensões não excedam 4 cm x 8 cm.
8.As Federações Nacionais e delegados são responsáveis em garantir que seus atletas fitness estejam totalmente cientes das regras da IFBB como detalhadas abaixo.
9.Qualquer dúvida em relação as vestimentas devem ser levadas a atenção do Dirigente Oficial da IFBB ou o Dirigente de Árbitros da IFBB durante o Registro Oficial do Atleta.
Artigo 112
– Pré-Julgamento: Apresentação da Rodada 1 (Rotina Fitness)
112.1 Procedimentos:
A Rodada 1 (Rotinas) será procedida da seguinte maneira:
1.Cada competidor será chamado ao palco em ordem numérica para realizar uma rotina fitness com uma música de sua escolha; a duração máxima da música deve ser de 120 segundos.
2.Cada competidor será anunciado pelo número, nome e país.
3.Por razões de segurança, o uso do óleo corporal na rodada de rotinas está estritamente proibido.
Artigo 113
– Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada 1 (Rotina Fitness)
113.1 Pontuação da Rodada 1 (Rotinas):
A pontuação para a Rodada 1 procederá da seguinte maneira:
1.Utilizando o Formulário #3, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Pré-Julgamento)”, cada árbitro classificará o atleta de 1º a 15º, não dando a mesma classificação para dois atletas.
2. Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros”, para escrever notas sobre os atletas.
3. Os estatísticos recolhem o Formulário #3 dos árbitros e transcrevem suas colocações para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, sob a Rodada 1. Então, eles irão descartar as duas pontuações mais altas e as duas mais baixas; somando as cinco pontuações remanescentes, e escrevem o total na coluna marcada “Pontuação Parcial da Rodada 1”.
4. Caso ocorra um empate na “Pontuação Parcial da Rodada1”, o empate não necessita ser imediatamente quebrado já que a “Pontuação Parcial da Rodada 1” deverá ser somada a “Pontuação Parcial da Rodada 2” para produzir uma “Pontuação do Pré-Julgamento”.
Artigo 114
– Pré-Julgamento: Avaliação da Rodada 1 (Rotina Fitness)
114.1 Avaliação da Rodada 1 (Rotinas):
A Rodada 1 será avaliada de acordo com os seguintes critérios:
1.Cada árbitro avalia a rotina observando o estilo, a personalidade, a coordenação atlética e a performance geral. Os árbitros devem também observar os competidores que realizam movimentos de força e flexibilidade, e também movimentos ginásticos. A rotina pode incluir demonstração aeróbica, de dança, ginásticas ou outras demonstrações de talento atlético. Não há movimentos obrigatórios.
2. Os árbitros são lembrados de que, durante esta rodada, eles estão julgando APENAS a rotina fitness e NÃO o físico.
Artigo 115
– Pré-Julgamento: Apresentação da Rodada 2 (Quartos-de-volta)
115.1 Apresentação da Rodada 2:
Os procedimentos para a Rodada 2 ocorrerão da seguinte maneira:
1.Toda a categoria será chamada ao palco, em uma fileira única e em ordem numérica.
2. A fileira será divida em dois grupos de tamanhos iguais que serão posicionados no palco de maneira que um grupo permaneça à esquerda do palco; e o outro grupo permaneça à direita do palco. A parte central do palco ficará livre para propósitos de comparações.
3. Em ordem numérica, e em grupos de não mais do que cinco competidores ao mesmo tempo, cada grupo será direcionado ao centro do palco para realizar os quartos-de-volta.
4. Esta divisão inicial dos competidores em grupo, e a realização dos quartos-de-volta, tem como finalidade auxiliar os árbitros na determinação de quais competidores participarão das comparações seguintes.
5. Agora os árbitros podem submeter os competidores a comparações individuais para avaliações do Chefe de Árbitros da IFBB ou do Diretor de Palco. Não menos do que três e não mais do que cinco competidores serão comparados ao mesmo tempo. O Dirigente de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco terão a discrição para descartar ou apurar um pedido individual dos árbitros para comparações se permitido.
6. Todas as comparações individuais serão levadas ao centro do palco e em ordem, da esquerda para a direita, como exigido pelo árbitro.
7. O número de comparações e o final das comparações serão decididos pelo Chefe de Árbitros ou pelo Diretor de Palco.
8. Todos os competidores serão submetidos à pelo menos uma comparação.
9. Ao término da última comparação, todos os competidores retornarão a fileira única, e em ordem numérica, antes de sair do palco.
Artigo 116
– Pré-Julgamento: Pontuação da Rodada 2 (Quartos-de-volta)
116.1 A pontuação da Rodada 2 (Quartos-de-volta) será realizada da seguinte maneira:
1.Utilizando o Formulário #3, intitulado “Classificação Individual dos Árbitros (Pré-Julgamento)”, cada árbitro premiará um competidor com uma classificação individual de 1º a 15º, assegurando-se de que dois ou mais competidores não recebam a mesma classificação. Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros” para registrar suas avaliações sobre cada competidor.
2. Utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, com nove árbitros, as duas notas mais altas e as duas mais baixas serão descartadas. As classificações remanescentes serão somadas para produzir a “Pontuação Parcial da Rodada 2”, que então será somada a “Pontuação Parcial da Rodada 1” para produzir uma “Pontuação do Pré-Julgamento” e uma “Classificação do Pré-Julgamento”.
3. Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 2” não necessitam ser imediatamente quebrados já que a “Pontuação parcial da Rodada 2” será somada a “Pontuação parcial da Rodada 1” para produzir uma “Pontuação do Pré-Julgamento”.
4. Caso um empate ocorra na “Pontuação do Pré-Julgamento”, ele será quebrado utilizando-se primeiro a “Pontuação Parcial da Rodada 2”. Caso ainda permaneça o empate, ele será quebrado utilizando-se o método de “Classificação Relativa” e a “Pontuação Parcial da Rodada 2”dos atletas.
5. Os 10 melhores atletas do Pré-Julgamento avançarão para as Finais.
Artigo 117
– Pré-Julgamento: Avaliação da Rodada 2 (Quartos-de-volta)
117.1 A Rodada 2 (Quartos-de-volta) é avaliada utilizando-se os seguintes critérios:
1. O árbitro deverá primeiro avaliar a aparência atlética masculina geral do físico. Esta avaliação deve começar pela cabeça e seguir para baixo, levando-se todo o físico em consideração. A avaliação, começando com a impressão geral do físico, deverá levar em consideração o cabelo e as características faciais; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico simétrico e equilibrado; a condição e o tom da pele; e a habilidade do atleta em se apresentar com confiança.
2. O físico deve ser avaliado através do nível do tônus muscular geral, obtido através de comportamentos atléticos. Os grupos musculares devem ter uma aparência redonda e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal. O físico não deve ser nem excessivamente muscular e nem excessivamente magro.
3. A avaliação deve levar em consideração a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deve ser suave e de aparência saudável.
4. As avaliações do físico do atleta pelos árbitros devem incluir a apresentação completa do atleta, do momento em que ele entra até o momento em que ele sai do palco. A todo o momento o competidor de fitness masculino dever ser visto com ênfase em um “físico saudável, condicionado e de aparência atlética, num pacote total apresentado de forma atrativa”.
5. Os árbitros são lembrados de que esta não é uma competição de culturismo. Os competidores devem ter uma forma para seus músculos, mas não com o tamanho e a vascularidade que é vista nas competições de culturismo. Qualquer competidor que apresentar estas características estará desclassificado.
Artigo 118
 – Finais: Rodada 3 (Geral)
118.1 Procedimentos
Os dez melhores atletas do Pré-Julgamento avançaram para as Finais, que consiste de uma rodada, como segue:
1.Rodada 3, Aquecimento 1: (Rotina Fitness)
2.Rodada 3, Aquecimento 2: (Quartos-de-volta)
Artigo 119
 – Finais: Vestimenta para a Rodada 3
119.1 A vestimenta para a Rodada 3 deve estar conforme os seguintes critérios:
1.Rodada 3, Aquecimento 1 (Rodada Fitness) – a mesma vestimenta como descrito no artigo 111.
2.Rodada 3, Aquecimento 2 (Quartos-de-volta) – a mesma vestimenta descrita no artigo 109.
Artigo 120
– Finais: Apresentação da Rodada 3, Aquecimento 1 (Rodada Fitness)
120.1 Os procedimentos para conduzir a Rodada 3, Aquecimento 1 (Rotina Fitness) são os seguintes:
1.Os dez atletas finalistas, vestindo suas vestimentas para a rotina fitness, serão chamados ao palco individualmente e em ordem numérica, para realizar suas rotina fitness individuais com a música de sua escolha, na qual a duração deve ter no máximo 120 segundos. O Aquecimento 1, Rodada 3, não será pontuado.
2.Cada competidor será anunciado pelo número, nome e país.
3.Algum tempo depois, os 6 melhores finalistas retornarão ao palco para a realizar os quartos-de-volta.
Artigo 121
– Finais: Apresentação da Rodada 3, Aquecimento 2 (Quartos-de-volta)
121.1 Os procedimentos para conduzir a Rodada 3, Aquecimento 2 (Quartos-de-volta) serão os seguintes:
1.Os seis melhores atletas são chamados ao palco, em ordem numérica e enfileirados.
2.Em ordem numérica, cada competidor será anunciado pelo número, nome e país.
3.Como um grupo, a fileira é direcionada para realizar os quartos-de-volta.
4.O Chefe de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco podem, em sua discrição, pedir que o grupo realize os quartos-de-volta no centro do palco em ordem numérica e então na ordem contrária.
5.Ao final dos quartos-de-volta, os competidores saem do palco.
Artigo 122
 – Finais: Pontuação da Rodada 3, Aquecimento 2 (Quartos-de-volta)
122.1 A pontuação da Rodada 3, Aquecimento 2 , será realizado da seguinte maneira:
1.Os árbitros, utilizando o Formulário #6, intitulado “Classificações Individuais dos Árbitros (Finais)”, e utilizando o mesmo critério para o julgamento utilizando no Pré-Julgamento, classificarão os competidores de 1º ao 6º lugar, não classificando dois atletas na mesma posição.
2.Os estatísticos coletarão o Formulário #6 dos árbitros e transcreverão as classificações dos árbitros para o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”. Eles descartarão as duas classificações mais altas e as duas mais baixas; e então somarão as cinco classificações remanescentes, e escreverão o total sob a coluna marcada como “Pontuação Parcial da Rodada 3”
3.Os estatísticos irão então somar a “PONTUAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO” a “Pontuação parcial da Rodada 3” para produzir a “PONTUAÇÃO FINAL” e a “CLASSIFICAÇÃO FINAL”.
4.Caso ocorra um empate na “Pontuação Parcial da Rodada3”, o empate necessita ser imediatamente quebrado já que a “Pontuação Parcial da Rodada 3” deve ser somada a “PONTUAÇÃO DO PRÉ-JULGAMENTO” para produzir a “PONTUAÇÃO FINAL”. Caso um empate ocorra na “PONTUAÇÃO FINAL”, o empate deverá se quebrado utilizando-se a primeira “Pontuação Parcial da Rodada 3”. Se um empate ainda persistir, o método de “Classificação Relativa” será utilizado.
5.Os árbitros utilizarão, o Formulário #6; os Estatísticos utilizarão o Formulário #5.
Artigo 123
– Finais: Avaliação da Rodada 3
123.1 Rodada 3, Aquecimento 2, é avaliado utilizando-se o mesmo critério como detalhado no Artigo 117 (Quartos-de-volta)
Artigos 124
 – Finais: A Cerimônia de Premiação
124.1 A cerimônia de premiação procederá da seguinte maneira:
1.Os 6 finalistas serão chamados ao palco para participar da cerimônia de premiação.
2.O Mestre de Cerimônias, utilizando o Formulário #7, intitulado “Os Seis Melhores Finalistas (para MC)”, anunciará o número, o nome e país do competidor na 6ª colocação e este ficará em pé do lado direito (quando visto de frente) do pedestal de vitória e receberá sua premiação. O Mestre de Cerimônia irá então anunciar o número, o nome e país do competidor na 5ª colocação e este ficará em pé do lado do lado direito do pedestal de vitória e receberá sua premiação. Em seguida o Mestre de Cerimônias anunciará então o número, o nome e país do competidor na 4ª colocação e este ficará em pé do lado esquerdo do pedestal de vitória e receberá sua premiação. Depois o Mestre de Cerimônias anunciando os resultados dos atletas na 3ª, e 2ª colocação e, finalmente, o vencedor.
3.O Presidente da IFBB, ou o oficial responsável da IFBB no campeonato, acompanhado pelos outros oficiais convidados por ele a participar desta Cerimônia, entregarão as Medalhas da IFBB e/ou os Troféus para os vencedores.
4.O hino nacional do país do competidor campeão será tocado imediatamente após ele receber sua premiação de 1º colocado.
5. Após o término do hino e do hasteamento da bandeira nacional, os finalistas podem ser solicitados a permanecerem no palco por um breve período de tempo para fins fotográficos.
- Descrições mais detalhadas sobre a Cerimônia de Premiação estão disponíveis no Artigo 36.
- Os Resultados da Classificação por Equipes e a Premiação – de acordo com o Artigo 38.
- Publicação dos Resultados – de acordo com o Artigo 39.
APÊNDICE 11
COMO AVALIAR A COMPETIÇÃO MASCULINA DE FITNESS
INTRODUÇÃO
Os árbitros são fortemente relembrados de que eles estão julgando uma competição de FITNESS masculino e não uma competição de CULTURISMO    masculino. O tipo de musculatura e vascularidade, exibido por um culturista masculino não será considerado aceito se exibido por um competidor fitness masculino e, portanto, deverá ser desclassificado.
APRESENTAÇÃO GERAL:
Os árbitros são relembrados de que a postura e o comportamento do competidor, durante todo o tempo em que estiver no palco, devem ser considerados. A imagem geral exibida deverá demonstrar elegância e autoconfiança. Isto é especialmente verdadeiro durante o tempo em que o competidor estiver em pé relaxado e durante as comparações dos quartos-de-volta.
Quando relaxados, os competidores devem ser advertidos contra adotar uma pose tensa, com os braços flexionados e de perfil para mostrar a musculatura. Uma postura relaxada significa que o competidor deve manter-se ereto, cabeça e olhos voltados para frente, ombros para trás, peito “para fora”, barriga “para dentro”, calcanhares unidos, e os braços RELAXADOS e soltos livremente ao lado do corpo.
Durante cada um dos quartos-de-volta, as mesmas regras deverão ser aplicadas. Novamente, a postura ser ereta, cabeça e olhos voltados para frente, ombros para trás, peito “para fora”, barriga “para dentro”, calcanhares unidos, e os braços RELAXADOS e soltos livremente ao lado do corpo.
QUARTOS-DE-VOLTA
Quarto-de-volta para Direita
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, braço esquerdo pendurado e levemente atrás da linha central do corpo com uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada, braço direito relaxado e levemente a frente da linha central do corpo e com leve uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada. Os posicionamentos dos braços causarão um leve giro para a esquerda na parte superior do corpo, com o ombro esquerdo mais baixo e o ombro direito mais alto. Isto é natural e não deve ser forçado. Os competidores que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.
Quarto-de-volta de Costas
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, ambos os braços suspensos e posicionados ao lado da linha central do corpo, cotovelos levemente flexionados, polegares e dedos unidos, palmas das mãos voltadas para o corpo e mãos levemente curvadas. Os competidores que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.
Quarto-de-volta para Direita
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, braço direito pendurado e levemente atrás da linha central do corpo com uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada, braço esquerdo relaxado e levemente a frente da linha central do corpo e com leve uma leve flexão do cotovelo, polegar e dedos unidos, palma da mão voltada para o corpo, mão levemente curvada. Os posicionamentos dos braços causarão um leve giro para a esquerda na parte superior do corpo, com o ombro esquerdo mais baixo e o ombro direito mais alto. Isto é natural e não deve ser forçado. Os competidores que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.
Quarto-de-volta de Frente
Postura ereta relaxada, cabeça e olhos voltados para frente, calcanhares unidos, pés girados para fora em um ângulo de 30º, joelhos unidos e semi-flexionados, barriga “para dentro”, peito “para fora”, ombros para trás, ambos os braços suspensos e posicionados ao lado da linha central do corpo, cotovelos levemente flexionados, polegares e dedos unidos, palmas das mãos voltadas para o corpo e mãos levemente curvadas. Os competidores que falharem em adotar uma postura apropriada receberá uma advertência após a qual pontos serão retirados de sua pontuação.
RODADA 1 – ROTINA:
Nesta rodada, os 15 atletas realizaram uma rotina fitness, com a música de sua escolha, sendo que a duração não deverá exceder 120 segundos.
Mais uma vez, os árbitros deverão considerar o “Pacote Total”, isto é, a rotina inteira desde o momento em que o atleta se apresenta no palco até o momento em que o atleta sai do palco.
Os árbitros são relembrados de que, durante esta Rodada, eles estarão julgando APENAS a rotina fitness e NÃO o físico. O árbitro deve julgar uma rotina bem coreografada e criativa realizada com um alto ritmo/velocidade.
Embora os movimentos compulsórios não sejam exigidos, a rotina deve incluir:
1.Elementos de FORÇA – por exemplo, parada de mãos com quadril abduzido, parada de mão com as pernas unidas a frente, e/ou apoio com um braço (movimentos ginásticos tais como mortal de frente ou de costas, mortal com apoio de mãos, estrelas não são considerados elementos de força). O número de movimentos de força, seu grau de dificuldade, e a criatividade geral dos movimentos serão considerados no julgamento da rotina.
2.Elementos de FLEXIBILIDADE – por exemplo, chutes altos, espacato lateral, e/ou espacato frontal. O número de elementos de flexibilidade, seu grau de dificuldade, e a criatividade geral dos movimentos serão considerados no julgamento da rotina.
3.A VELOCIDADE ou ritmo da rotina demonstra um grau de condicionamento cardiovascular, força, e resistência. Por exemplo, se duas rotinas contiverem o mesmo número de elementos de força e flexibilidade, a rotina que for realizada no ritmo mais rápido possui maior dificuldade para ser realizada contanto que os movimentos sejam realizados corretamente. Mais uma vez, o árbitro deve sempre considerar o “Pacote Total” e não apenas a soma dos movimentos individuais. Há um componente – um elemento de “ator”, que os competidores inserem na rotina fitness que é único deles. Isto é sua personalidade, carisma, presença de palco, agilidade, energia, atratividade como também um ritmo natural que realizaria uma parte na classificação final do competidor.
RODADA 2  QUARTOS-DE-VOLTA
Nesta rodada os 15 competidores são chamados ao palco, em ordem numérica e enfileirados. Eles serão direcionados as comparações dos quartos-de-volta, primeiro como um grupo inteiro e então em pequenos grupos de não mais do que cinco atletas ao mesmo tempo. É esperado que cada árbitro analise todas as comparações e não apenas aquelas que um específico solicitou.
Durante as comparações, um árbitro não deve perder de vista que esta julgando o atleta como um “Pacote Total”.
Os árbitros devem avaliar primeiro a aparência atlética geral do físico. Esta avaliação deve levar em consideração todo o físico. A avaliação começa com uma impressão geral do físico, devendo levar em consideração o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico desenvolvido e forma equilibrada e simétrica, a condição e o tom da pele; e a habilidade do atleta em se apresentar com confiança e elegância.
O físico deverá ser avaliado de acordo com seu nível de densidade muscular geral, obtido através de comportamentos atléticos. Os grupos musculares deverão ter uma aparência com uma pequena quantidade gordura corporal. O físico não deverá ser excessivamente musculoso e nem excessivamente magro e deverá apresentar uma separação muscular visível e/ou estriações. Os físicos que forem considerados muito musculosos ou muito magros serão desclassificados.
A avaliação também deverá levar em consideração a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deverá ser de aparência suave e saudável. A avaliação do físico doa atletas pelos árbitros deverá incluir a apresentação completa do atleta, do momento em que ele entra até o momento em que ele sai do palco. Durante todo o tempo, o competidor fitness dever ser visto com a ênfase em um físico “saudável, condicionado, sólido, atlético”, em um “Pacote Total” apresentado de forma atrativa.
RODADA 3 – FINAIS:
No Aquecimento 1 da Rodada 3, os 10 melhores finalistas realizaram uma rotina fitness, com uma música de sua escolha, na qual a duração máxima não deverá exceder 120 segundos. Esta parte da rodada não é pontuada.
No Aquecimento 2, da Rodada 3, os 6 melhores finalistas serão chamados ao palco, em ordem numérica e enfileirados, vestindo sungas como descrito no Artigo 109. Eles serão direcionados as comparações dos quartos-de-volta. Esta parte da rodada é pontuada.
Esta rodada é julgada utilizando-se os mesmo critérios de avaliação como resumido durante a Rodada 2.


MULHERES BIKINI FITNESS(Atualizada em julho de 2011)Artigo 125 - IntroduçãoMulheres de Fitness Bikini categoria foi oficialmente reconhecida como uma disciplina novo esporte peloIFBB Conselho Executivo e IFBB Congresso em 7 de novembro de 2010 (Baku, Azerbaijão).125,1 Gerais:Regras da IFBB para Fitness Bikini consistem em regulamentos, políticas, diretrizes edecisões destinadas a orientar a IFBB e seus Membros na administração dosesporte de Fitness Bikini.125,2 Regras:Certas regras técnicas e administrativas que aparecem na seção de Regras Geraissão os mesmos para Fitness Bikini e, portanto, não são repetidos nesta seção.Artigo 126 - Responsabilidade dos organizadores para Atletas e Delegados126,1 Responsabilidades:O organizador do Campeonato Mundial compromete-se a cobrir o custo de acomodações e refeições doubleoccupancy (café, almoço e jantar) para os concorrentes edelegados da seguinte forma:1. Bodybuilding das mulheres Mundial, Fitness, Body Fitness, Biquíni de Fitness & Fitness MasculinaCampeonatos:Durante quatro dias (três noites) de acordo com a seguinte escala:a. Três ou mais concorrentes - Dois delegadosb. Um ou dois concorrentes - Um delegadoNota 1: O número máximo permitido de uma equipe de competidores por NationalFederação não pode exceder o número de categorias abertas a estes campeonatos,com um máximo de dois competidores permitidos para competir em qualquer categoria.Nota 2: Um número máximo permitido de uma equipe de concorrentes por Federação Nacionalem qualquer disciplina, não pode exceder o número de categorias em que a disciplina.Nota 3: Um máximo de onze concorrentes é permitido na equipe A (duas mulheresfisiculturistas, dois de fitness feminino, quatro de fitness corpo feminino, duas de fitness bikini feminino euma adequação do sexo masculino) e serão aceitos por Federação Nacional com um máximo de doisconcorrentes permissão para competir em qualquer categoria.Nota 4: Delegados sem atletas serão responsáveis ​​pelo custo total de seusparticipação no evento.Nota 5: Em acordo entre a IFBB eo Organizador, um adicionalcategoria pode ser aberta para a competição.Artigo 127 - Categorias127,1 Categorias:Bikini competição de Fitness no Campeonato Mundial está aberta nos seguintescategorias:1. Há duas categorias de biquíni mulheres idosas de fitness nível mundial competições,atualmente como segue:a. Classe A: até e incluindo. 163 centímetrosb. Classe B: Mais de 163 centímetrosArtigo 128 - Rounds128,1 Rounds:
http://www.ifbb.com/pdf/bikini_fitness_rules.pdf